24/05/2012 12:00 am

Grito da Terra apresenta pauta de reivindicações a Menicucci

Grito da Terra apresenta pauta de reivindicações a Menicucci

 

A pauta de reivindicações do Grito da Terra Brasil (GTB) com questões pertinentes às trabalhadoras rurais foi debatida durante encontro da ministra Eleonora Menicucci, da Secretaria de Políticas para as Mulheres da Presidência da República (SPM-PR), com diretoras das federações filiadas à Confederação Nacional dos Trabalhadores na Agricultura (Contag), que promove a campanha anualmente. Ao final do encontro, a ministra se comprometeu a responder antes do Grito.

 

 

“Esperamos entregar nossa resposta para as mulheres antes do dia do Grito da Terra Brasil”, declarou Menicucci. O Grito da Terra Brasil acontecerá nos dias 29 e 30 deste mês.

 

O encontro aconteceu na quarta-feira (23/05), em Brasília, e, entre os temas, há a ampliação dos serviços especializados no enfrentamento à violência contra as mulheres, criação dos Fóruns Estaduais de Políticas para as Mulheres e ativação do Grupo Interministerial para estruturar as creches na zona rural.

 

Também foram abordados o fortalecimento das políticas públicas voltadas às mulheres trabalhadoras do campo e das florestas. A secretária nacional de Enfrentamento à Violência contra as Mulheres, Aparecida Gonçalves, e diretoras da SPM-PR também participaram da reunião.

 

A ministra Eleonora enfatizou que a equipe da SPM vai atuar no sentido de fortalecer a pauta de reivindicações, tais como ampliação dos serviços especializados no enfrentamento à violência contra as mulheres – entre os quais a questão das unidades móveis de atendimento às mulheres do campo e das florestas -, criação dos Fóruns Estaduais de Políticas para as Mulheres, e ativação do Grupo Interministerial para estruturar as creches na zona rural. Esta foi uma das questões mais preocupantes, apresentada pela secretária de Mulheres Trabalhadoras Rurais da Contag, Carmen Foro.

 

“Não temos creches e as crianças acabam ficando embaixo de uma árvore, pois suas mães não têm onde deixá-las enquanto estão trabalhando”, apontou Carmen Foro. Ela acrescentou que essa creche deverá ter um formato diferente das instaladas nas cidades. “Precisamos de um equipamento de educação, mas que seja voltado também para o acolhimento dessas crianças”, completou.

 

As diretoras da Contag afirmaram estar otimistas com a perspectiva de diálogo que está sendo estabelecido pela SPM com as organizações das trabalhadoras rurais. A ministra Eleonora salientou que a SPM representa as mulheres brasileiras de todas as frentes. “Tudo o que tecemos em termos de políticas é de forma conjunta, é fruto de uma construção coletiva”, afirmou.

 

A ministra lembrou que sua história com as trabalhadoras rurais é anterior à SPM. “Minha relação com as trabalhadoras do campo e das florestas não é teórica, mas de pele. Tenho uma história antiga, de vida, ligada ao campo”, assinalou Eleonora Menicucci.

 

Marcha das Margaridas

A diretora da Contag lembrou a primeira Marcha das Margaridas, em 2000, e que levou milhares de mulheres rurais a construírem sua plataforma de lutas. Segundo ela, o GTB atualiza as questões pontuadas na marcha e que dizem respeito às desigualdades no campo, violência e participação das mulheres, entre outras.

 

“Essa convergência de interesses nos fortalece. A presidenta Dilma anunciou a criação de um grupo interministerial. Ela já deu essa ordem. Então, que se cumpra”, analisa Carmen.

 

Ao término do encontro a ministra fez questão de firmar um compromisso: “Esperamos entregar nossa resposta para as mulheres antes do dia do Grito da Terra Brasil”.

 

Fonte: Secretaria de Políticas para as Mulheres – SPM e Contag

http://www.vermelho.org.br/noticia.php?id_noticia=184138&id_secao=8

CONTATOS

facebook.com/observatorio

(98) 99999-9999

observatoriopoliticaspublicaslutasociais@yahoo.com.br