22/03/2012 12:00 am

Greve no interior: sindicalistas foram barrados em escola pública de Coroatá

Greve no interior: sindicalistas foram barrados em escola pública de Coroatá

Em Coroatá, município que faz parte da Delegacia Regional do Sinproesemma de Codó, dirigentes sindicais fizeram boletim de ocorrência na delegacia da cidade para denunciar represálias da direção da Escola Luiz Montenegro Tavares. O caso aconteceu no primeiro dia da greve nacional, quando os sindicalistas foram à escola mobilizar professores e funcionários para o movimento.”Eles infringiram um direito básico e constitucional do cidadão de ir e vir”, ressalta o coordenador da delegacia sindical, Jean Pierre.

Já em Sucupira do Norte, o movimento foi pacífico. Os trabalhadores foram às ruas, em ato público, pedir respeito ao piso salarial, à carreira e maior investimento na educação. A categoria participou de audiência pública, na Câmara Municipal, e no último dia de greve reuniram em assembleia para avaliar a proposta de plano de carreira dos profissionais da rede municipal, enviada ao sindicato pelo prefeito.

Em Barra do Corda, os educadores concentraram-se na Praça Melo Uchoa, centro da cidade, em todos os dias de greve, encerrando o movimento com uma grande carreata. A paralisação no município foi tranquila e teve adesão significativa, de acordo com informações prestadas pela delegacia sindical.

Em Pinheiro, na Baixada Maranhense, os trabalhadores em educação iniciaram o movimento com uma audiência pública na Câmra Municipal e nos demais dias de greve, 15 e 16, concentraram-se na Praça José Sarney, onde fizeram ato público e de onde sairam em caminhada pelas ruas do Centro, chamando a atenção da sociedade para o descaso do Poder Público com a educação.

Em Itapecuru-Mirim, a coordenação da Delegacia Regional do Sinproesemma informou que todas as escolas da cidade, rede municipal e estadual, aderiram à greve nacional. Nos dias de paralisação, os educadores concentraram-se em frente à sede do sindicato e em ato público informaram à sociedade os motivos da greve e os problemas por que passa a educação pública no Maranhão.

http://www.sinproesemma.org.br/2012/3/21/greve-no-interior-sindicalistas-foram-barrados-em-escola-publica-de-coroata-2956.htm

CONTATOS

facebook.com/observatorio

(98) 99999-9999

observatoriopoliticaspublicaslutasociais@yahoo.com.br