1/10/2010 12:00 am

GREVE DOS BANCÁRIOS CRESCE E FECHA 4.895 AGÊNCIAS NO PAÍS

GREVE DOS BANCÁRIOS CRESCE E FECHA 4.895 AGÊNCIAS NO PAÍS

O sindicato dos bancários informou que a greve da categoria fechou 4.895 agências no país nesta quinta (30) – cerca de 25% das 19.800 existentes. O movimento foi iniciado na quarta-feira (29), com a adesão de quase 4 mil agências e centros administrativos. 

Considerando apenas São Paulo, Osasco e região, de acordo com o sindicato, houve adesão de mais de 28 mil bancários ao movimento, espalhados por 645 agências e 14 centros administrativos. Há 130 mil bancários em São Paulo. 

Segundo o presidente da Contraf-CUT e coordenador do Comando Nacional dos Bancários, Carlos Cordeiro, a expectativa é que nos próximos dias a greve receba mais adesões. “A indignação dos bancários com a intransigência dos bancos fez a greve aumentar no segundo dia e a tendência é crescer ainda mais à medida que o tempo vai passando e os bancos não apresentam proposta com avanços econômicos e sociais”, afirmou. 

A Contraf-CUT também divulgou nesta quinta um comunicado afirmando que os bancos rejeitaram as propostas em cinco rodadas de negociação e “empurraram os trabalhadores para a greve”. “Essa intransigência é incompatível com a situação privilegiada dos bancos”, reclama a entidade. “Os bancários continuam abertos à negociação e aguardam uma proposta dos bancos”. 

Os bancários informaram que entregaram no último dia 11 de agosto uma pauta de reivindicações pedindo aumento de 11%, PLR (Participação nos Lucros e Resultados), vale-refeição, vale-alimentação, auxílio-creche e pisos maiores, além de auxílio-educação para todos e melhores condições de saúde. 

Em nota divulgada nesta quarta, a Fenaban informou que “a entidade e os bancos manifestam sua firme intenção de adotar todas as medidas legais cabíveis e necessárias para garantir o acesso e o atendimento da população nas agências e postos bancários”. 

Atendimento

Os clientes que tiverem dificuldades em pagar contas nas agências podem recorrer aos canais de atendimento remoto, como os caixas eletrônicos e os correspondentes não bancários como casas lotéricas, farmácias, agências dos Correios, redes de supermercados e outros estabelecimentos comerciais credenciados. O serviço de internet também pode ser utilizado como alternativa. 

Da redação com agências

FONTE: http://www.vermelho.org.br/noticia.php?id_secao=8&id_noticia=138296

CONTATOS

facebook.com/observatorio

(98) 99999-9999

observatoriopoliticaspublicaslutasociais@yahoo.com.br