31/10/2012 12:00 am

Grécia tem nova onda de protestos contra políticas de austeridade

Grécia tem nova onda de protestos contra políticas de austeridade

 

Os trabalhadores municipais de Atenas anunciaram nesta quarta (31) uma greve durante o fim de semana em protesto contra as medidas de austeridade que o executivo enviou ao Parlamento.

 

O sindicato POE-OTA, majoritário entre os empregados da prefeitura de Atenas, convocou também para hoje assembleias em todos os municípios do país para coordenar ações encaminhadas a impedir a aplicação dos novos cortes.

 

Em seu comunicado, a organização conclamou “todas as organizações sociais e os cidadãos a unirem-se na luta pelo derrocamento das medidas de austeridade da troika (Comissão Europeia, Banco Central Europeu e Fundo Monetário Internacional) e da coalizão de governo”.

 

Até o momento, sabe-se que nem no sábado, nem no domingo, haverá serviços municipais, incluindo o de recolhimento do lixo, enquanto para a segunda-feira será anunciado um calendário de protestos que incluirá greves, ocupações de edifícios públicos, assim como o bloqueio de depósitos e garagens do governo local.

 

Por sua vez, as duas principais organizações sindicais do país, a Confederação Geral de Trabalhadores da Grécia (GSEE) e a Confederação de Empregados Públicos (Adedy), convocaram para a quinta (1) uma manifestação no centro da capital contra os cortes em educação, saúde e programas sociais.

 

A GSEE expressou sua rotunda rejeição à “insistência dogmática da troika para abolir os convênios coletivos e o que sobrou de legislação trabalhista na Grécia” e anunciou novas ações.

 

A Associação de Advogados de Atenas também decidiu em assembleia uma greve de 48 horas para a quinta e sexta-feira, a fim de protestar contra as mudanças legislativas previstas que afetarão o desempenho de seu trabalho. Além disso, programou uma reunião na próxima segunda-feira para adotar mais medidas de força.

 

O executivo grego pretende apresentar amanhã perante a Assembleia Nacional os orçamentos para 2013 e, no dia 5 de novembro, seu plano de cortes orçamentais e modificações legais, esperando que sejam aprovados pelo procedimento de urgência na quarta-feira 7.

 

O objetivo é ter tudo pronto para que na reunião do Eurogrupo do dia 12 de novembro os sócios europeus autorizem o pagamento da quantidade pendente do empréstimo financeiro, avaliada em 31,5 bilhões de euros.

 

Fonte: Prensa Latina

http://www.vermelho.org.br/noticia.php?id_noticia=197787&id_secao=9

CONTATOS

facebook.com/observatorio

(98) 99999-9999

observatoriopoliticaspublicaslutasociais@yahoo.com.br