18/07/2012 12:00 am

Governo paraguaio impõe voto indireto nas próximas eleições

Governo paraguaio impõe voto indireto nas próximas eleições

 

O Governo paraguaio apoiou nesta quarta-feira (18) a polêmica resolução do Congresso que nega o voto direto para as próximas eleições que ocorrerão em abril de 2013.

 

Depois de uma reunião realizada entre Federico Franco e o titular do Tribunal Supremo de Justiça Eleitoral, Alberto Ramírez, foi confirmado que a mencionada disposição entrou em vigor e o voto direto só se aplicará em 2015.

 

Trata-se das denominadas “listas sábanas” , espécie de votação com lista fechada que, tradicionalmente, obriga o eleitor a votar por todos os candidatos de um mesmo partido e o privam do direito de escolher.

 

A presença deste sistema de eleição é defendido pelos partidos tradicionais e os interesses econômicos vinculados a eles, pois garante a eleição de “caciques” eleitorais que controlam votações e bancadas partidárias.

 

A possibilidade de perder esse privilégio pessoal tem muita incidência sobre o controle do Parlamento por determinados grupos políticos, entre outros benefícios, e é causa de resistência permanente à mudança no sistema eleitoral.

 

Fernando Lugo, durante sua estadia no governo, decretou uma lei eliminando tais “listas sábanas”, facilitando assim o voto direto da cidadania, mas a maioria opositora no Parlamento impediu sua aplicação para as próximas eleições, alegando falta de condições para isso.

 

Este ato provocou grandes manifestações populares em frente ao edifício do Congresso que, inclusive, terminaram com enfrentamentos entre a população e a Polícia.

 

Fonte: Prensa Latina

http://www.vermelho.org.br/noticia.php?id_noticia=188806&id_secao=7

CONTATOS

facebook.com/observatorio

(98) 99999-9999

observatoriopoliticaspublicaslutasociais@yahoo.com.br