26/01/2011 12:00 am

GOVERNO EGÍPCIO AVISA QUE NÃO IRÁ TOLERAR NOVOS PROTESTOS

GOVERNO EGÍPCIO AVISA QUE NÃO IRÁ TOLERAR NOVOS PROTESTOS

O Governo egípcio avisou que não vai permitir novos protestos nas ruas como os da véspera, em que morreram quatro pessoas, e que todos quantos tentarem manifestar-se serão detidos.

“Nenhuns movimentos provocadores nem reuniões de protesto, marchas ou manifestações vão ser permitidas. Procedimentos legais serão tomados imediatamente e os participantes entregues às autoridades de investigação”, afirmou o ministro do Interior, citado pela agência noticiosa estatal MENA.

Mais de 20.000 pessoas protestaram ontem em várias cidades do país, num “dia da ira” contra a pobreza e a repressão do regime do Presidente, Hosni Mubarak, há três décadas no poder, inspiradas pela “revolução dos jasmins” que na semana passada fez cair o chefe de Estado na Tunísia.

Esta manhã, era feita uma actualização do número de mortos nos confrontos que ocorreram na véspera, passando a um polícia, no Cairo, e três manifestantes, todos na cidade de Suez. A agência noticiosa britânica Reuters, citando uma fonte médica, identificava o terceiro manifestante morto como Gharib Abdelaziz Abdellatif, de 45 anos, que terá perecido já hoje no hospital.

A tranquilidade regressara esta manhã às ruas da capital egípcia, porém, apesar de milhares de manifestantes terem ameaçado não abandonar a praça de Tahiri, no centro do Cairo, até ao derrube de Mubarak.

Pelas primeiras horas de hoje a polícia tinha já toda a zona sob controlo, e é testemunhada a existência de um forte aparato de segurança na capital e a detenção de alguns grupos de jovens do sexo masculino por toda a cidade – nomeadamente junto a um complexo de edifícios de tribunais, no centro do Cairo, onde começaram alguns dos protestos de ontem.

Durante a noite as forças de segurança continuaram a dispersar os manifestantes, com canhões de água e gás lacrimogéneo. Já de madrugada, as ruas estavam vazias e o trânsito fluía normalmente.

Alguns dos manifestantes afirmaram que vão tentar voltar a reagrupar-se esta tarde no centro do Cairo, em desafio às ordens expressas das autoridades que avisaram não ser permitido nenhum protesto nas ruas. O movimento de oposição Juventude 6 de Abril apelou através da sua página no Facebook para que os protestos continuem hoje “e depois, até à partida de Murabak”.

No serviço de microblogging Twitter, algumas mensagens têm vindo a passar nas últimas horas apelando a nova congregação no Cairo esta tarde: “São 12h31. Os protestos das universidades estão planeados para as 14h. Só então poderemos ver como o dia corre”, era escrito por um utilizador que se identifica como “draddee”. Outro, “Farrah3m”, dizia “A todos: vai haver um protesto às 14h00 no cruzamento de Medan Alhasry”.

Esta manhã, o Twitter, que foi um dos métodos usados pelos manifestantes para se organizarem ontem, revelou estar com o acesso bloqueado no Egipto. Em comunicado, a empresa, avalia, em tom crítico, que “a troca aberta de informação e opiniões beneficia as sociedades e ajuda os governos a melhor se ligarem às populações”. Os serviços de internet e telefónicos estão, de forma geral, a funcionar intermitentemente em todo o país.

 

FONTE: http://www.publico.pt/Mundo/governo-egipcio-avisa-que-nao-ira-tolerar-novos-protestos_1477137

CONTATOS

facebook.com/observatorio

(98) 99999-9999

observatoriopoliticaspublicaslutasociais@yahoo.com.br