20/05/2011 12:00 am

GOVERNADORA ROSEANA DESTACA LICITAÇÃO PARA DUPLICAÇÃO DA BR-135

A governadora Roseana Sarney reafirmou, nesta quinta-feira (19), a importância da duplicação da BR-135, cujo edital de abertura do processo de licitação para obras foi publicado no Diário Oficial da União desta quarta-feira (18). Ela ressaltou que o anúncio confirma os benefícios assegurados para o Estado durante sua visita a Brasília, no fim de março, quando se reuniu com 12 ministros, entre eles o do Transportes, Alfredo Nascimento.

 

“Essa era uma decisão já esperada. Estive com o ministro em março e ele já havia garantido a autorização para a duplicação da rodovia”, declarou a governadora, ressaltando ainda a necessidade da execução do serviço. “A duplicação é primordial para alavancar o processo de crescimento do estado com a chegada de novos investimentos e o incremento na economia, garantindo transporte para o escoamento da produção, além de maior segurança no trânsito para o maranhense”, assinalou.

 

A obra, que faz parte do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC 2), está sob a responsabilidade do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT). Com a publicação, o órgão reabre o prazo de licitação, que ocorrerá no dia 21 de junho próximo.

 

A previsão para o início do trabalho na rodovia é o fim do mês de agosto. O serviço contemplará as obras de duplicação, implantação de vias laterais, reforço, alargamento, contornos e a construção de artes especiais da BR-135.

 

A licitação para a obra de duplicação da BR-135 foi dividida em três blocos. Além do trecho entre São Luís e Bacabeira (total de 26,5 km – do Km 25, em Estiva, ao Km 51, em Bacabeira), também será duplicada a rodovia entre Bacabeira/Entroncamento e Entroncamento/Miranda do Norte. A obra está orçada em aproximadamente R$ 250 milhões.

 

A publicação do edital 515/2010 deveria ter ocorrido no mês passado, mas o Tribunal de Contas da União (TCU) embargou algumas obras no Brasil, entre elas a BR-135, para auditar pontos do projeto, como o volume do aterro, valor da brita e preço da obra, que precisava se adequar ao Sistema de Custos Referenciais de Obras (Sicro). Com a comprovação da adequação de todos os aspectos, o DNIT publicou o documento.
FONTE: http://www.ma.gov.br/agencia/noticia.php?Id=16345

CONTATOS

facebook.com/observatorio

(98) 99999-9999

observatoriopoliticaspublicaslutasociais@yahoo.com.br