17/08/2010 12:00 am

FORO DE SÃO PAULO DESTACA IMPORTÂNCIA DA REVOLUÇÃO CUBANA

FORO DE SÃO PAULO DESTACA IMPORTÂNCIA DA REVOLUÇÃO CUBANA

O significado que tem para a América Latina e o Caribe a influência que emana a partir do exemplo da Revolução Cubana, é reforçada pelo Foro de São Paulo (FSP) em documento a ser discutido na reunião que se inicia nesta terça-feira (17).

“O triunfo da Revolução cubana, através de uma genuína guerra popular liderada por Fidel Castro, foi um marco na história da América Latina”, destaca o texto, elaborado pelo Grupo de Trabalho (GT) do Foro. 

As alusões ao processo revolucionário em Cuba são parte da análise dos 20 anos desde o surgimento, em 1990, deste espaço de socialização de experiências partidárias e ações conjuntas de solidariedade. 

Nesse sentido, o documento-base para a 16ª Reunião do Foro de São Paulo, com sede em Buenos Aires, sublinhou que a situação que existe hoje na região “é um produto de múltiplos movimentos e das lutas que se travaram das últimas  décadas. ” 

O texto salienta que foi a insurreição boliviana, caracterizada por uma combinação única de características modernas e antigas, que abriu o caminho para Evo Morales à presidência. 

Da mesma forma, acrescenta, a congregação no Palácio Miraflores, por sua vez, permitiu a radicalização “bolivariana” do (dignitário presidente venezuelano Hugo) Chávez, e a vitória eleitoral do presidente brasileiro Luiz Inácio Lula da Silva não pode ser compreendida sem a luta dos trabalhadores. 

O documento-base, além disso, constata que nas últimas duas décadas tem-se criado uma crescente fraternidade e uma aproximação gradual entre os governos, partidos, movimentos sociais e dos povos dos nossos países. 

Destacada, entre as diferentes expressões da integração regional, a Alternativa Bolivariana para os Povos da América Latina e Caribe (ALBA) e a União das Nações Sul-Americanas (Unasul). 

No entanto, o documento afirma, um passo ainda maior foi dado na Cúpula da Unidade Latinoamericana e Caribenha, realizada na Riviera Maya, em fevereiro deste ano, com a criação de um órgão regional, a Comunidade de Estados Latino-Americanos e Caribenhos (CELAC) . 

A 16ª Reunião do Foro de São Paulo, que se realiza pela primeira vez na Argentina, vai reunir cerca de 200 participantes, que serão recebidos hoje pelo ministro das Relações Exteriores Hector Timerman no Salão Libertador do Palácio San Martín. 

O FSP reúne partidos de esquerda e progressistas de centro-esquerda latino-americanos, e foi fundado em 1990 pelo Partido dos Trabalhadores do Brasil em São Paulo, onde vem seu nome.

Fonte: Prensa Latina. Tradução: Luana Bonone

FONTE: http://www.vermelho.org.br/noticia.php?id_noticia=135231&id_secao=7

CONTATOS

facebook.com/observatorio

(98) 99999-9999

observatoriopoliticaspublicaslutasociais@yahoo.com.br