9/11/2010 12:00 am

FORÇA-TAREFA DESARTICULA QUADRILHA SUSPEITA DE FRAUDAR INSS EM R$ 7 MI

FORÇA-TAREFA DESARTICULA QUADRILHA SUSPEITA DE FRAUDAR INSS EM R$ 7 MI

Depois de pelo menos dois anos de investigações a Força-Tarefa Previdenciária no Rio de Janeiro deflagrou nesta terça-feira (9), a Operação Teníase, que cumpre 33 mandados de prisão preventiva e 81 de buscas e apreensões contra servidores, advogados e despachantes acusados de crimes contra a Previdência Social. 

A Força-Tarefa, composta pelo Ministério Público Federal (MPF), Polícia Federal (PF) e Previdência Social, desarticulou algumas quadrilhas que obtinham benefícios irregulares na agência da previdência social nos bairros de Fátima, Copacabana, Cosme Velho, Itaboraí e Teresópolis. A apuração preliminar apontou que os ilícitos geraram prejuízos de pelo menos R$ 7 milhões por mês.

Os mandados foram expedidos por juiz da 4ª Vara Federal Criminal do Rio de Janeiro, após o recebimento das 16 denúncias encaminhadas pelo Ministério Público Federal contra 45 pessoas, entre servidores, ex servidores, advogados e demais intermediários. 


Denúncias

De acordo com as denúncias, servidores da previdência social aceitavam o pagamento de propina em troca da concessão de benefícios previdenciários. Em alguns casos foi possível verificar que as irregularidades envolviam a utilização de empresas de fachada por meio das quais os fraudadores simulavam o preenchimento dos requisitos para a aprovação da aposentadoria. As fraudes também alcançavam os benefícios da espécie Loas, auxílio-doença e pensão por morte.

Para cumprir os mandados de prisão e de busca e apreensão, a PF destacou 281 policiais e 75 viaturas, além de 16 servidores do Ministério da Previdência Social. 

“É impressionante como alguns servidores denunciados agora pelo MPF já tinham sido investigados e detidos em outras ocasiões e voltaram a cometer os mesmos crimes. A articulação das quadrilhas é complexa, então foi preciso oferecer 16 denúncias para detalhar o envolvimento de cada criminoso”, afirma o procurador da República Carlos Alberto Aguiar.

Os réus vão responder pelos crimes de formação de quadrilha, corrupção ativa e passiva, inserção de dados falsos e estelionato e estarão sujeitos a penas que, somadas, podem alcançar mais de 30 anos.


Fonte:
Polícia Federal

FONTE: http://www.brasil.gov.br/noticias/arquivos/2010/11/09/forca-tarefa-desarticula-quadrilha-suspeita-de-fraudar-inss-em-r-7-mi

CONTATOS

facebook.com/observatorio

(98) 99999-9999

observatoriopoliticaspublicaslutasociais@yahoo.com.br