4/04/2012 12:00 am

FMI aprova liberação de € 5,17 bi de empréstimo para Portugal

FMI aprova liberação de € 5,17 bi de empréstimo para Portugal

DAS AGÊNCIAS DE NOTÍCIAS

O Fundo Monetário Internacional (FMI) anunciou nesta quarta-feira que aprovou um repasse de € 5,17 bilhões (R$ 12,41 bi) para Portugal e elogiou os “progressos” do país para recuperar sua economia.

O valor eleva a € 18,560 bilhões a soma desembolsada pelo FMI em meio a um crédito de € 27,6 bilhões de euros do resgate conseguido pelo governo português em maio de 2011 com o fundo. O país também conseguiu mais € 50,4 bi do Banco Central Europeu e da União Europeia na negociação.

De acordo com o vice-diretor gerente do fundo, Nemat Shafik, indicou que Portugal apresentou progressos e que os ajustes econômicos, como cortes no Orçamento e aumentos de impostos, estão acontecendo.

O funcionário do FMI ressaltou a importância do cumprimento do cronograma de recuperação econômica para que Portugal ganhe a confiança dos mercados e volte a apresentar crescimento. A instituição ainda revelou que os planos de déficit português para 2012 ainda são factíveis com as condições atuais.

SEGUNDO PACOTE

Na terça (3), a União Europeia descartou um segundo resgate para Portugal, devido aos progressos com as reformas destinadas a recuperar sua saúde financeira e a provável volta aos mercados em 2013, como planejado no acordo de 2011.

Alguns investidores ainda temem que Portugal tenha de seguir o exemplo da Grécia e buscar mais um plano de resgate, o que poderia envolver perdas para os credores do setor privado.

“No geral, o programa está no caminho. O ajuste fiscal em 2011-2012 é notável por qualquer padrão”, disse a terceira revisão do avanço de Portugal nas reformas, realizada pela Comissão.

Parcelas do dinheiro dos credores internacionais dependem de Lisboa atender às metas de reformas acordadas. Desta vez a Comissão, que revisa o avanço do país junto com o Banco Central Europeu e o FMI, elogiou Portugal.

“O cumprimento é extraordinariamente bom para Portugal”, disse uma autoridade da Comissão Europeia, que pediu para não ser identificada.

Indagada se Portugal precisaria de um segundo resgate se não puder voltar aos mercados, a autoridade respondeu: “Nossa presunção é que o programa é suficiente. Se Portugal conseguirá convencer os mercados é outra questão, claro.”

“Por enquanto, nossa presunção é que o programa está no caminho certo e deverá fazer com que Portugal reconquiste o acesso aos mercados em 2013”, afirmou a autoridade.

http://www1.folha.uol.com.br/mundo/1071731-fmi-aprova-liberacao-de–517-bi-de-emprestimo-para-portugal.shtml

CONTATOS

facebook.com/observatorio

(98) 99999-9999

observatoriopoliticaspublicaslutasociais@yahoo.com.br