28/10/2010 12:00 am

EXECUTIVAS CALIFORNIANAS USAM FORTUNAS PESSOAIS EM DISPUTA ELEITORAL NOS EUA

EXECUTIVAS CALIFORNIANAS USAM FORTUNAS PESSOAIS EM DISPUTA ELEITORAL NOS EUA

FERNANDA EZABELLA
DE LOS ANGELES


Duas mulheres de negócios que lideraram empresas poderosas do Vale do Silício estão gastando suas fortunas pessoais para conseguir se eleger na Califórnia, o Estado mais populoso dos EUA.

A bilionária Meg Whitman, ex-presidente-executiva do site de leilões eBay, quer ocupar o cargo do colega republicano Arnold Schwarzenegger, há dois mandatos no governo.

Carly Fiorina, ex-presidente-executiva da Hewlett-Packard tenta a vaga no Senado ocupada desde 1993 por Barbara Boxer, democrata popular na região.

Ambas estão atrás de seus principais oponentes nas pesquisas eleitorais.
Whitman já colocou US$ 140 milhões (R$ 240 milhões) na campanha, um recorde para um candidato americano gastando do próprio bolso e o suficiente para comprar dois pedaços de pizza para cada casa da Califórnia, segundo um jornal local.

“Políticos de carreira e Washington, cuidado! Vocês vão enfrentar o seu pior pesadelo: duas executivas do mundo real que sabem como criar empregos, cuidar de orçamentos e fazer acontecer”, disse Whitman em discurso.

Fiorina investiu U$ 6,5 milhões (R$ 11 milhões) de sua conta pessoal na campanha. Ela é mais conservadora que Whitman, além de ser contra o aborto e o casamento gay.
Ela ficou um dia hospitalizada nesta semana para tratar de uma infecção, decorrente de um câncer de mama.

A plataforma de Whitman, que pagou US$ 90 mil para um estrategista político, promete pelo menos dois milhões de empregos no setor privado, redução de impostos para as empresas e um corte drástico dos gastos do Estado de até US$ 15 bilhões.

A Califórnia tem a oitava maior economia do mundo, na frente do Brasil, com PIB de US$ 1,7
trilhão em 2009.

Porém, os últimos governadores não conseguiram fazer muito devido a uma Assembleia Legislativa que demonstra pouca vontade em sanar o deficit orçamentário de mais de US$ 20 bilhões e uma taxa de desemprego de 12% por ano.

ACUSAÇÕES

O oponente de Whitman, 54, é o democrata Jerry Brown, 72, que estudou para ser padre, mas virou advogado e se elegeu governador da Califórnia nos anos de 1970.

Ele é o procurador-geral do Estado e lidera as pesquisas, ajudado pela denúncia de que o filho de Whitman tem uma acusação de estupro.

“As duas querem governar o Estado como se fosse um negócio, mas atingiram recordes nacionais de gastos”, disse Brown a seus eleitores.

FONTE: http://www1.folha.uol.com.br/mundo/821543-executivas-californianas-usam-fortunas-pessoais-em-disputa-eleitoral-nos-eua.shtml

CONTATOS

facebook.com/observatorio

(98) 99999-9999

observatoriopoliticaspublicaslutasociais@yahoo.com.br