23/11/2010 12:00 am

EVA GOLINGER: CONGRESSISTAS DOS EUA PROMOVEM EVENTO CONTRA ALBA

EVA GOLINGER: CONGRESSISTAS DOS EUA PROMOVEM EVENTO CONTRA ALBA

A presença tanto de democratas como de republicanos em evento contra os países da Alba evidencia que a política agressiva de Washington para a América Latina é uma política bipartidista e uma política de Estado do império estadunidense.

Por Eva Golinger *, em Adital

A nova sala de conferências do Centro de Visitas do Congresso dos Estados Unidos, em Washington, será sede, no dia 17 de novembro de um encontro intitulado “Perigo nos Andes: Ameaças à Democracia, aos direitos humanos e à segurança interamericana”.

Estarão presentes personagens da extrema direita latino-americana que participaram em golpes de Estado e atos de terrorismo e desestabilização, junto a altos representantes do poder legislativo estadunidense. O evento evidencia a escalada em agressões imperiais na região.

Os temas principais que se discutirão no seio do Congresso estadunidense evidenciam uma escalada de agressões contra países como a Venezuela, Cuba, a Bolívia, o Equador e a Nicarágua – todos membros da Aliança Bolivariana dos Povos de Nossa América (Alba) – e incluem “debates” fundamentados em três interrogações:

– O desenvolvimento do “Socialismo do Século XXI” na Venezuela, no Equador e na Bolívia colocam em perigo a democracia e os direitos humanos?

– A Alba – de Cuba, Venezuela, Bolívia, Equador e Nicarágua- constitui uma ameaça aos intereses estadunidenses e à segurança interamericana?

– A política dos Estados Unidos para a região está equipada para responder à erosão da democracia e a influência perigosa de atores hostis, como o Irã, grupos terroristas e narcotraficantes?

O evento está patrocinado pelo Congresso dos Estados Unidos e contará com a participação dos chefes das Comissões de Relações Exteriores, incluindo Elliot Engel, democrata de Nova York e atual chefe do Subcomitê de Relações Exteriores para o Hemisfério Ocidental; Connie Mack, republicano da Flórida e próximo chefe do Subcomitê de Relações Exteriores para o Hemisfério Ocidental; Ileana Ross-Lehtinen, republicana da Flórida e próxima chefa do Comitê de Relações Exteriores; e Ron Klein, democrata da Flórida e membro do Subcomitê de Relações Exteriores para o Hemisfério Ocidental.

A presença tanto de democratas quanto de republicanos nesse evento contra os países da Alba evidencia que a política agressiva de Washington para a América Latina é uma política bipartidista e uma política de Estado do império estadunidense.

Junto a esses congressistas estarão participando figuras da extrema direita latinoamericana como “especialistas” para dissertar sobre o que eles consideram uma “ameaça” ao seu poder e influência regional. 

Pela Venezuela estará presente Guillermo Zuloaga, criminoso fugido da justiça venezuelana e golpista; pela Bolívia participarão membros dos grupos separatistas e terroristas de Santa Cruz, como Luis Núñez, presidente do Comitê Cívico de Santa Cruz e Javier El-Hage, representante da nefasta Fundación de Derechos Humanos, Capítulo Bolívia. 

A Fundação de Direitos Humanos é uma organização criada pelo venezuelano Thor Halvorrsen (hijo), que se dedica a atacar o governo de Hugo Chávez e que solicitou a intervenção militar dos Estados Unidos na Venezuela.

Também participarão desse evento o presidente da Sociedade Interamericana de Imprensa (SIP), Alejandro Aguirre; o antigo diretor da USAID para América Latina, José Cárdenas; o ex-czar Antidroga dos Estados Unidos. John Walters; Joel Hirst do poderoso Conselho de Relações Exteriores, um governo “sombra” em Washington; Otto Reich, ex-embaixador dos Estados Unidos na Venezuela (quem liberou o terrorista Orlando Bosch da prisão venezuelana) e que também foi Secretário de Estado para América Latina do governo de Bush e ex-embaixador dos Estados Unidos ante a OEA.

Todos esses personagens têm uma história de agressão e hostilidade contra o governo de Hugo Chávez na Venezuela e promoveram, apoiaram e financiaram golpes de Estado na Venezuela, na Bolívia, em Honduras e no Equador durante a última década e, permanentemente, atentam contra a paz e a estabilidade de Cuba.

Haverá representantes do Equador, como o advogado direitista Edgar Terán e o congressista Enrique Herrería, e outros representantes de institutos (think-thanks*) da direita estadunidense.

Anfitriões adicionais desse evento terrorista incluem a organização venezuelana em Miami, Fudaprefc (www.fudaprefc.org), criada pela golpista Yuri López Pérez, que se dedica a defender aos comissários da polícia metropolitana condenados por homicídio múltiplo durante o golpe de Estado de abril de 2002: Lázaro Forero, Iván Simonovis e Henry Vivas.

Também é patrocinado pelo Instituto Interamericano para a Democracia, fundado pelo argentino Guillermo Lousteau Heguy, em Miami e que conta com membros em sua diretoria como os terroristas cubanos Carlos Alberto Montaner e Aramndo Valladares. Esse Instituto realizou um evento intitulado “Café da manhã com Lucio Gutiérrez”, no dia 23 de setembro de 2010, curiosamente uma semana antes da tentativa de golpe contra o presidente Rafael Correa, no Equador, que foi liderado por Gutiérrez.

Outros anfitriões incluem a Fundação Heritage, American Enterprise Institute (AEI), Centro apra uma Política de Segurança e o Instituto Hudson, quatro “think-thanks” da extrema direita estadunidense que tem se dedicado a agredir a Venezuela durante os últimos anos, publicando “relatórios” sobre as “ameaças” do governo de Hugo Chávez e canalisando fundos multimilionários a setores desestabilizadores da oposição venezuelana.

Finalmente, participa o Fórum Américas (Americas Forum), organização fundada por Otto Reich e Roge Noriega, entre outros membros da extrema direita latinoamericana nos Estados Unidos para formular estratégias de agressão contra os países da Alba.

Esse evento evidencia que após as eleições legislativas nos Estados Unidos, no passado 2 de novembro, durante as quais a direita estadunidense conseguiu uma maioria contudnete no Congresso, a política de Washington para a América Latina será muito mais agressiva e perigosa durante os próximos meses.

* Advogada venezuelano-estadunidense

FONTE: http://www.vermelho.org.br/noticia.php?id_noticia=142119&id_secao=7

CONTATOS

facebook.com/observatorio

(98) 99999-9999

observatoriopoliticaspublicaslutasociais@yahoo.com.br