13/12/2012 12:00 am

EUA: Banco Central divulga novas medidas econômicas

EUA: Banco Central divulga novas medidas econômicas

 

A Reserva Federal (FED, em sigla de inglês), o banco central dos EUA, anunciou nesta quarta (12) que a entidade planeja comprar mensalmente, a partir de janeiro de 2013, US$ 45 bilhões de títulos de longo prazo. O objetivo da medida é incentivar a recuperação econômica.

 

Após uma reunião de dois dias, o FED publicou uma declaração anunciando essa decisão. Ao mesmo tempo, o banco central dos EUA disse que irá ampliar seu plano de compra de Ativos, que custará mensalmente US$ 40 bilhões. Segundo o Comitê de Mercado Aberto do FED, se a situação de emprego dos EUA não melhorar, o plano terá continuidade.

 

Sobre a questão de taxa de juros, o FED pretende manter o atual nível. A entidade disse que a taxa não vai mudar até que o índice de desemprego caia para menos de 6,5% e enquanto a taxa de inflação superar 2,5%, dentro de dois anos. Isso significa que a entidade trata, pela primeira vez, a taxa de juros e a situação econômica do país como assuntos interligados. Porém, o presidente do FED, Ben Shalom Bernanke, disse que as novas medidas do FED não vão compensar todos os impactos negativos de “abismo fiscal”.

 

O mercado teve uma resposta positiva à decisão do FED. O índice de Standard&Poor’s aumentou 0,3% e Dow Jones Industrial Average registrou também um aumento de 0,2%. Porém, os dois índices fecharam em queda.

 

O FED aplica desde setembro do ano passado uma nova política, que visa diminuir a taxa de hipoteca e taxa de obrigação empresarial, através de compra mensal de 45 bilhões dólares de títulos de longo prazo e ao mesmo tempo de venda de títulos de prazo curto.

 

Há uma polêmica na sociedade norte-americana sobre as novas medidas do FED. A NBC avaliou positivamente a decisão e disse que tais medidas correspondem completamente à revisão de mercado. A Bloomberg News publicou também um artigo, no qual elogiou os esforços de Bernanke na promoção de crescimento econômico e diminuição de desemprego.

 

Por outro lado, alguns economistas têm dúvidas sobre o papel dessa política de afrouxamento, que alguns chamam de “bolhas de título”. Ao responder a estas críticas, Bernanke disse que a entidade conseguiu medidas criativas nos últimos anos e que não precisa ter preocupação com a eficácia de política para resolver a questão. Porém, Bernanke reconheceu também que a capacidade do FED é limitada.

 

O jornal norte-americano “The Wall Street Journal” expressou sua preocupação, já que essas medidas poderiam causar inflação.

 

Há também preocupação com o término dessa política. Segundo o plano, o FED começará a vender as dívidas em 2015. Mas para alguns especialistas, os elaboradores da política precisam reescrever o seu plano de retirada com a antecedência de 18 meses da data final.

 

Fonte: China Rádio internacional

http://www.vermelho.org.br/noticia.php?id_noticia=201205&id_secao=2

CONTATOS

facebook.com/observatorio

(98) 99999-9999

observatoriopoliticaspublicaslutasociais@yahoo.com.br