17/01/2012 12:00 am

Estudantes que participaram de protestos no Chile são perseguidos

Estudantes que participaram de protestos no Chile são perseguidos

 

O presidente do sindicato de Professores do Chile, Jaime Gajardo, denunciou a expulsão de três mil estudantes de seus colégios e a dispensa imposta a centenas de professores por participar em mobilizações contra o atual modelo educacional.

 

Gajardo apontou que em certos municípios levam a cabo uma verdadeira operação castigo contra os alunos e docentes que apoiaram o Movimento Social pela Educação Pública e Gratuita.

 

Temos conhecimento de que este tipo de decisões obedecem a ordens emanadas diretamente pelos prefeitos e são operadas através dos diretores de estabelecimentos, sublinhou uma comunicação enviada pelo grêmio magisterial ao ministro de Educação, Harald Beyer.

 

“Existem dirigentes estudiantis e de outras organizações, que envolvem inclusive a sua pasta, nesta operação de caráter político e acreditamos ser importante que você saia e esclareça o antes possível estas versões que circulam”, exigiram os professores.

 

Paralelamente Gajardo destacou que além dos cancelamentos de matrículas de alunos que protagonizaram ocupações de seus centros docentes, há uma política de demissões em massa de docentes e outras arbitrariedades quanto ao pagamento salarial, situação que afeta em particular a uns quatro mil professores.

 

Também denunciaram práticas antisindicais por parte dos que mantém os colégios, agregou o líder gremial.

 

Refletiu sobre o que está acontecendo e como isso demonstra cada vez mais a necessidade de erradicar o lucro no sistema de ensino no Chile. “O lucro traz consequências nefastas”, enfatizou.

 

Fonte: Prensa Latina

http://www.vermelho.org.br/noticia.php?id_noticia=173405&id_secao=7

CONTATOS

facebook.com/observatorio

(98) 99999-9999

observatoriopoliticaspublicaslutasociais@yahoo.com.br