8/07/2011 12:00 am

ESTUDANTES CHILENOS CONTINUARÃO MOBILIZADOS, DIZ LÍDER

Representantes do movimento esdudantil chileno asseguraram que darão continuidade às manifestações porque há uma divisão clara entre o que propõe o governo em matéria de educação e o que querem os cidadãos.

 

 

Existe uma disputa ideológica de fundo que deve ser resolvida pelo povo, por meio de um plebiscito, afirmou o dirigente universitário Cristóbal Lagos, para quem o “governo defende um modelo onde se ganha dinheiro e nós defendemos o que acreditamos ser o melhor para a educação no Chile”.

Lagos destacou que atualmente não se trata apenas de uma petição dos estudantes, mas de um movimento mais abrangente, de significado social e político e que questiona o sistema em seu conjunto por ser excludente e promover as desigualdades.

O Chile atravessa por um momento de protestos e manifestações de todo tipo contra o modelo de educação de mercado.

Entre as ultimas iniciativas para demonstrar o descontentamente contra o Palácio La Moneda, foi realizado na noite de quarta-feira um singular “beijaço pela educação” em várias cidades do país, como Valparaíso, Concepción, La Serena, Valdivia, Arica, Antofagasta e Santiago, capital do país.

Ontem foi marcado também, no âmbito nacional, a ocupação pacífica por alunos do ensino secundário, durante três horas, da sede do Partido de Renovação Nacional, no governo.

Matías Cárdenas, um dos jovens participantes dessa ação, disse que haverá mais uma vez uma paralisação em massa dos estudantes, em 14 de julho, em defesa de educação pública e gratuita.

Fonte: Prensa Latina

 

FONTE: http://www.vermelho.org.br/noticia.php?id_noticia=158249&id_secao=7

CONTATOS

facebook.com/observatorio

(98) 99999-9999

observatoriopoliticaspublicaslutasociais@yahoo.com.br