18/11/2010 12:00 am

ESTADO DE EMERGÊNCIA NA GUINÉ-CONACRI

ESTADO DE EMERGÊNCIA NA GUINÉ-CONACRI

 Na Guiné-Conacri, foi ontem decretado um estado de emergência até ao anúncio dos resultados definitivos das eleições presidenciais, informou na televisão o major Mohamed Kassé, porta-voz do presidente de transição, o general Sékouba Konaté.

O chefe do estado-maior general das forças armadas da Guiné-Conacri, o general Nouhou Thiam, confirmou a informação, precisando que tal significa que “qualquer manifestação, qualquer ajuntamento” estão proibidos.

A decisão segue-se à violência político-étnica que se seguiu ao anúncio, segunda-feira, dos resultados provisórios da segunda volta das presidenciais, ganha pelo opositor histórico Alpha Condé com 52,5 por cento dos votos contra 47,5 por cento do antigo primeiro-ministro Cellou Dalein Diallo, que desafiou os resultados junto ao Supremo Tribunal.

Pelo menos 7 pessoas morreram na violência pós-eleitoral na capital, Conacri.

Acusações

Durante uma conferência de imprensa Diallo disse que os seus apoiantes estavam a ser perseguidos.

“Apesar dos apelos para a calma que lancei aos meus apoiantes, a repressão é hoje mais forte do que ontem. Há assassínios e violência em todo país, especialmente nos meus bastiões em La Toma, Mamou, Dalaba e Pita, onde muitas detenções foram efectuadas e onde muitos dos meus apoiantes foram assassinados”, protestou o candidato derrotado às presidenciais da Guiné-Conacri.

O vencedor da eleição, Alpha Condé, disse que quer liderar um processo de reconciliação nacional e os Estados Unidos já condenaram a violência.

Fonte: BBC

FONTE: http://maputo.co.mz/por/noticias/estado_de_emergencia_na_guine_conacri

CONTATOS

facebook.com/observatorio

(98) 99999-9999

observatoriopoliticaspublicaslutasociais@yahoo.com.br