7/05/2010 12:00 am

ESPECIALISTAS ALERTAM QUE FALTA RESPONSABILIDADE DOS GOVERNOS NO TRATO DAS QUESTÕES CLIMÁTICAS

ESPECIALISTAS ALERTAM QUE FALTA RESPONSABILIDADE DOS GOVERNOS NO TRATO DAS QUESTÕES CLIMÁTICAS
Falta responsabilidade aos três níveis de governo – federal, estadual e municipal – no sentido de promover o desenvolvimento econômico sem agressões ao meio ambiente. Este sentimento foi consensual entre os especialistas que participaram ontem (6) do 1° Encontro Cidades e Mudanças Climáticas, no Rio de Janeiro.
O encontro teve como objetivo reafirmar a necessidade de conscientização política e cidadã sobre a causa ambiental, levando em conta o papel da comunidade acadêmica e das empresas na busca por soluções que garantam o bem estar social, diminuindo às agressões à atmosfera.
A pesquisadora do Instituto Alberto Luiz Coimbra de Pós-graduação e Pesquisa de Engenharia da Universidade Federal do Rio de Janeiro (Coppe-UFRJ) Suzana Kahn destacou que “os aspectos fundamentais para a sustentabilidade são as políticas públicas e a cooperação das empresas no sentido de otimizar os recursos usados nas linhas de produção. A redução dos impactos ambientais, como a poluição e a emissão de carbono na atmosfera, estão diretamente ligados ao consumo e à tecnologia. E como o Brasil está se desenvolvendo, fica claro que as emissões tendem a aumentar, sobretudo por conta do setor de transportes, que tem níveis de emissão muito próximos aos da indústria”.
A pesquisadora observa que o setor terá que aprender a lidar com restrições cada vez mais severas em relação às emissões de poluentes na atmosfera, à eficiência de combustíveis e ao modelo tecnológico utilizado na mobilidade das pessoas nos centros urbanos.
No encontro, o assessor especial da prefeitura do Rio de Janeiro e membro do conselho diretor da WWF-Brasil, Sérgio Besserman Vianna, disse que o mundo está demorando para agir: “Todos no mundo estamos muito atrasados em termos de planejamento, mobilidade e adaptação [às mudanças climáticas]“.
Vianna acredita que só o conhecimento poderá dar respostas às questões do futuro. Ele enfatizou que é preciso apoiar os centros de produção de conhecimento, como o Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE), para que se produza um mapeamento e um planejamento para as cidades com políticas de defesa do meio ambiente.
A secretária de Mudanças Climáticas e Qualidade Ambiental do Ministério do Meio Ambiente, Branca Americano, reconheceu que são papéis do governo criar e incentivar políticas públicas que priorizem a questão da sustentabilidade. De acordo com a secretária, o ministério trabalha para que as empresas ofereçam alternativas ambientalmente responsáveis e que a maior parte dos estudos feitos na secretaria conta com a colaboração das universidades. “O Brasil tem papel importante (de responsabilidade sustentável). Podemos ser referência para o mundo.”
Reportagem da Agência Brasil, publicada pelo EcoDebate, 07/05/2010

FONTE: http://www.ecodebate.com.br/2010/05/07/especialistas-alertam-que-falta-responsabilidade-dos-governos-no-trato-das-questoes-climaticas/

CONTATOS

facebook.com/observatorio

(98) 99999-9999

observatoriopoliticaspublicaslutasociais@yahoo.com.br