21/06/2012 12:00 am

Espanha apresentará pedido de ajuda na sexta, diz ministro francês

Espanha apresentará pedido de ajuda na sexta, diz ministro francês

DA EFE, EM LUXEMBURGO
DAS AGÊNCIAS DE NOTÍCIAS

O ministro de Finanças da França, Pierre Moscovici, assegurou nesta quinta-feira que a Espanha formalizará amanhã sua solicitação de ajuda à zona do euro para a recapitalização de seus bancos com problemas.

“O pedido formal será feito amanhã, quando Luis de Guindos [ministro de Economia espanhol] retornar a Madri”, disse Moscovici em entrevista coletiva ao término da reunião do grupo de ministros das Finanças da zona do euro, o Eurogrupo.

Questionado uma segunda vez pelos jornalistas, o ministro francês brincou: “responderei como o senhor De Guindos”, e em seguida disse em espanhol, “mañana [amanhã]”.

Em entrevista, o chefe do Eurogrupo, Jean-Claude Juncker, afirmou que os países membros da moeda única esperam que a Espanha apresente o pedido para a ajuda financeira de até € 100 bilhões (R$ 260 bilhões) até a próxima segunda-feira (25).

Juncker, que também é premiê de Luxemburgo, informou que o grupo de negociadores da Comissão Europeia, do FMI (Fundo Monetário Internacional) e o Banco Central Europeu, negociará as condições do socorro com o governo espanhol.

O empréstimo será concedido pelo Fundo Europeu de Estabilidade Financeira, mas poderá ser canalizado ou redirecionado para o Mecanismo Europeu de Estabilidade caso a aprovação do crédito seja feita após o dia 1º de julho, quando é prevista a entrada em vigor do segundo fundo.

Na entrevista, o ministro de Economia da Espanha, Luis de Guindos, afirmou que o governo pretende negociar os termos da ajuda financeira para o sistema bancário do país nas próximas duas semanas. De acordo com o funcionário, o valor necessário para o resgate, de € 62 bilhões, “é perfeitamente conciliável”.

De Guindos insistiu que enviará a ajuda “nos próximos dias”, o que considera um “mero trâmite burocrático”, sendo o memorando da ajuda o ponto mais importante.

SOCORRO

Mais cedo, o governo espanhol divulgou um levantamento sobre as necessidades dos bancos espanhóis, que apontam um limite máximo de € 62 bilhões para o saneamento do sistema bancário.

O exercício, feito por duas consultoras, foi realizado com 14 instituições, que representam 90% do setor financeiro nacional.

De acordo com o vice-governador do Banco da Espanha, Fernando Restoy, a avaliação se aplica a toda a carteira de crédito nacional, crédito a pequenas e médias, a famílias, ao consumo, à aquisição de moradias e não só ao crédito relacionado ao setor de construção civil.

Segundo Restoy, os dois cenários considerados foram um de base e outro mais extremo, com uma recessão e uma queda dos preços do setor imobiliário mais intensa e as necessidades de capital que isso exigiria dos bancos em um período de três anos, até 2014.

O objetivo destes exercícios é “avaliar a resistência do sistema financeiro espanhol para suportar cenários macroeconômicos desfavoráveis, cenários mais negativos que aqueles que aparecem refletidos nas principais previsões”, afirmou.

“Creio que os resultados destes avaliadores confirmam o exercício realizado pelo FMI”, disse Restoy, em referência ao relatório no qual o Fundo estimou em € 40 bilhões as necessidades dos bancos da Espanha.

Estes resultados servirão ao governo espanhol para fazer o pedido concreto de ajuda depois que, em 9 de junho, a zona do euro se mostrou disposta a dar uma ajuda de no máximo € 100 bilhões para sanear o setor financeiro espanhol, debilitado após o estouro da bolha imobiliária de 2008.

http://www1.folha.uol.com.br/mundo/1108534-espanha-apresentara-pedido-de-ajuda-na-sexta-diz-ministro-frances.shtml

CONTATOS

facebook.com/observatorio

(98) 99999-9999

observatoriopoliticaspublicaslutasociais@yahoo.com.br