27/10/2010 12:00 am

EMPRESAS COM ALTO CRESCIMENTO GERAM 57% DAS VAGAS, APONTA IBGE

EMPRESAS COM ALTO CRESCIMENTO GERAM 57% DAS VAGAS, APONTA IBGE 

Segundo o IBGE, a proporção de empresas de alto crescimento no país é tida como alta, se considerados os padrões internacionais

O IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) mapeou, pela primeira vez, as empresas consideras de alto crescimento e constatou que o grupo representava, no período de 2005 a 2008, 8,3% das firmas com mais de dez empregados instaladas formalmente no país. Juntas, elas geraram 2,9 milhões de empregos formais nesses três anos –ou 57,4% do total de vagas criadas.

Estão nesse rol companhias que registraram por três anos consecutivos uma expansão de, ao menos, 20% no seu quadro de funcionários. Tal critério é adotado pela OCDE (Organização para Cooperação eDesenvolvimento Econômico) e passou a ser usado pelo IBGE no estudo Demografia das Empresas de 2008, feito a partir do Cadastro Geral de Empresas do instituto e divulgado nesta quarta-feira.

Segundo o IBGE, a proporção de empresas de alto crescimento no país é tida como alta, se considerados os padrões internacionais. Na última pesquisa da OCDE (Organização para a Cooperação e o Desenvolvimento Econômico), Espanha e EUA registraram, no topo da lista, taxas próximas a 6%. De acordo com Denise Guichard, gerente de análise do Cadastro Central de Empresas do IBGE, o maior percentual de companhias de alto crescimento no Brasil pode estar relacionado à diferença de períodos das pesquisas do IBGE e da OCDE.

É que, diz, os anos de 2005 e 2008 foram de grande crescimento do comércio global e também de maior dinamismo do mercado doméstico. “A diferença temporal entre os estudos pode explicar o desempenho mais favorável das empresas brasileiras, que se beneficiaram da ampliação do crédito, do consumo interno aquecido e da expansão da demanda externa.”

Pelos dados dos IBGE, havia 372 mil empresas com 10 ou mais pessoas assalariadas no país em 2008. Desse total, 31 mil estavam no grupo de alto crescimento, cujas empresas pagavam salário médio mensal de 2,4 salários mínimos.

O total de empregados no grupo de empresas de alto crescimento passou de 1,6 milhão para em 2005 para 4,5 milhões em 2008 –alta de 173,7%. No mesmo período, o pessoal ocupado no conjunto de empresas aumentou menos: 22,2%. As firmas de alto crescimento correspondiam, em 2008, a apenas 1,7% do total de empresas com mais de dez empregados. As atividades com as maior número de empresas nesses grupos eram: indústrias de transformação (27,4%), comércio (26,4%) e construção (12,2%). 

FONTE: http://www.oimparcialonline.com.br/noticias.php?id=63193

CONTATOS

facebook.com/observatorio

(98) 99999-9999

observatoriopoliticaspublicaslutasociais@yahoo.com.br