3/10/2012 12:00 am

Em Minas Gerais, segue a luta do Quilombo Brejo dos Crioulos

Em Minas Gerais, segue a luta do Quilombo Brejo dos Crioulos

As 513 famílias do Quilombo Brejo dos Crioulos localizado nas dividas dos municípios de São João da Ponte, Varzelândia e Verdelândia (MG) estão em luta há mais de 12 anos para a retomada de suas terras ocupadas por fazendeiros e latifundiários.

 

O território quilombola está localizado numa área de 17.302 hectares de terras, entretanto, 13.290 são ocupados por nove fazendeiros.

 

Em setembro do ano passado, em torno de 200 quilombolas acamparam em frente ao Palácio do Planalto para pressionar o governo pela titulação de suas terras. Com a pressão, conseguiram que a presidente Dilma Rousseff assinasse, em 29 de setembro de 2011, um decreto de demarcação da área em favor dos quilombolas.

 

O Incra deveria fazer a avaliação das fazendas para a desintrusão – retirada do imóvel  de quem dele se apossou sem autorização do proprietário  – dessas áreas. Entretanto, um ano se passou e até o momento nada foi feito.

 

Os quilombolas, cansados na inércia do governo, resolveram retomar parte de  seu território, no dia 17 setembro, ocupado pelo empresário Raul Ardito Lerário de Pindamonhangaba (São Paulo).

 

Há informação de que houve confronto e uma pessoa foi baleada. Cinco quilombolas foram presos e nove estão com mandados de prisão. Segundo informações da Comissão Pastoral da Terra de Minas Gerais, não se sabe ao certo o porquê esses companheiros foram presos e qual a acusação sobre eles.

 

Veja aqui, nota do Movimento Quilombo Raça e Classe sobre o assunto

http://cspconlutas.org.br/2012/10/em-minas-gerais-segue-a-luta-do-quilombo-brejo-dos-crioulos/

CONTATOS

facebook.com/observatorio

(98) 99999-9999

observatoriopoliticaspublicaslutasociais@yahoo.com.br