18/11/2010 12:00 am

ELMANO FÉRRER DEFENDE QUE HUT SEJA GERIDO POR FUNDAÇÃO

ELMANO FÉRRER DEFENDE QUE HUT SEJA GERIDO POR FUNDAÇÃO

Elmano Férrer defende que HUT seja gerido por fundação 

O prefeito de Teresina, Elmano Férrer (PTB), defendeu ontem que para resolver os problemas que enfrenta com superlotação e o atendimento de 70% de seus pacientes vindos do interior do Piauí e de outros Estado, o Hospital de Urgência de Teresina (HUT) deve ser administrado por uma fundação. 

Ele afirmou que o HUT não pode ser administrado apenas pela Prefeitura de Teresina, pelo Governo do Estado ou pelo Governo Federal, mas por uma fundação. 

“O problema do HUT é o da urgência e da emergência que está presente em todo o país. É um problema nacional, mas chegou a um ponto de saturação. Daí porque levantamos a questão na semana passada. 

O HUT, por sua abrangência, não é só municipal, ele transcende o município e entre em outros Estados e municípios. Tem que ter uma ação conjunta dos três níveis de governo”, declarou Elmano Férrer. 

Ele disse que foi perdida uma grande oportunidade quando o HUT foi inaugurado porque na época o ministro José Gomes Temporão lançou a ideia para que os grandes hospitais deveriam se organizar sobre a forma jurídica de uma fundação estatal que tenha sua constituição. 

O HUT recebe do Governo do Estado e do Governo Federal R$ 1,3 milhão por mês, mas os recursos gastos no hospital vão muito além desse valor. 

“O HUT não pode continuar sendo mantido pela Prefeitura. A solução não é estadualizar, federalizar o HUT, a solução não é por aí. No meu entendimento, tem que haver a participação dos três entes federados, a União (Governo Federal), Estado e o Município”, declarou Elmano Férrer. 

Na manhã de ontem durante a solenidade de lançamento da campanha nacional de combate a dengue 
pelo ministro da saúde, o prefeito de Teresina, Elmano Férrer, falou sobre os problemas enfrentados no Hospital de Urgências de Teresina – HUT. 

Uma das principais causas apontadas pelo prefeito para a atual situação do HUT é a grande demanda recebida no hospital, que atende além dos municípios do estado do Piauí, Maranhão e Pará. “Apesar do HUT atender de forma precária conseguimos atender toda a demanda, que não é só do Estado, mas também do Maranhão e sul do Pará”, disse Elmano Férrer. 

O prefeito falou que são necessárias parceria e uma descentralização dos atendimentos para outros locais como o Hospital Getúlio Vargas e o Hospital Militar. “A cidade de Teresina investe cerca de R$ 1,3 milhões no HUT o que não é suficiente. O momento agora é levar esses atendimentos para o HGV e o Hospital da Polícia Militar, que podem fazer estes atendimentos. Esse é um caso que atende todos os níveis do Governo Estadual e Federal”, falou. 

O presidente da Fundação Municipal de Saúde (FMS), Pedro Leopoldino, falou durante a solenidade e pediu atenção do ministro da Saúde, José Gomes Temporão, para os problemas no atendimento dos casos de Urgências e emergência na cidade de Teresina. 

“Não poderia deixar de falar ao ministro sobre os transtornos que atualmente enfrenta o Hospital de Urgência de Teresina. Temos hoje 165 pessoas sendo atendidas em macas e cadeiras e 189 pessoas nos leitos do hospital, tentamos no momento buscar uma solução junto aos governos”, declarou Pedro Leopoldino. 

Os vereadores de Teresina visitaram ontem o HUT e o vereador R. Sílva (PP) defendeu a intervenção federal do Hospital de Urgência e Emergência. 

O ministro da Saúde, José Gomes Temporão, falou, após o lançamento da Campanha Nacional de Combate a Dengue no Palácio do Karnak, que é necessário que os municípios invistam pelo menos 15% dos seus recursos na saúde e que eles não mandem de forma irresponsável pacientes para Teresina. Ele disse que o Ministério da Saúde não vai intervir do HUT porque não existe essa modalidade de intervenção federal. 

“O estado do Piauí recebeu investimentos na saúde em torno de R$ 400 milhões, um aumento de 65% se comparado com os anos anteriores. Com a universalização do Samu e a criação das Unidades de Pronto Atendimento esses tipo de situação poderá ser resolvida. No momento não há necessidade de um intervenção no hospital. 

Os prefeitos dos municípios tem que fazer investimento de no mínimo 15% dos seus recursos na saúde melhorando o atendimento o que faz com que esses pacientes possam ficar nas suas cidades e evitar que eles sejam mandados de forma irresponsável para a capital”, falou Temporão.

FONTE: http://www.meionorte.com/efremribeiro/elmano-ferrer-defende-que-hut-seja-gerido-por-fundacao-144557.html

CONTATOS

facebook.com/observatorio

(98) 99999-9999

observatoriopoliticaspublicaslutasociais@yahoo.com.br