29/10/2010 12:00 am

ELEITORES DA CALIFÓRNIA VÃO ÀS URNAS PARA DECIDIR LEGALIZAÇÃO DA MACONHA

ELEITORES DA CALIFÓRNIA VÃO ÀS URNAS PARA DECIDIR LEGALIZAÇÃO DA MACONHA

France Presse

LOS ANGELES, 29 Out 2010 (AFP) -Os eleitores californianos decidirão no dia 2 de novembro se querem fazer de seu estado um dos territórios mais progressistas do mundo, ao votar em um referendo sobre a legalização global do cultivo, comércio e consumo da maconha.

Em um estado onde o cultivo e a venda de cannabis com fins medicinais é legal desde 1996, a Proposta 19 permitirá aos californianos maiores de 21 anos possuir até uma onça (28,35 gramas) de maconha e cultivar uma superfície máxima de 2,34 metros quadrados.

O cultivo em grande escala e a comercialização da maconha – e a carga tributária – também seriam aprovadas, mas a aplicação ficaria a cargo das cidades e condados.

Este último dispositivo transformaria a Califórnia na “jurisdição política de vanguarda em termos de legislação da maconha”, à frente da Holanda, afirmou à AFP Ethan Nadelmann, diretor da Drug Policy Alliance, uma associação que milita pela descriminalização das drogas.

A “Prop 19”, como é conhecida, tem o apoio de políticos, sindicatos e associações de defesa dos direitos civis, além de empresários, incluindo o bilionário George Soros, que na terça-feira doou um milhão de dólares à campanha a favor da legalização.

Em uma carta aberta, o filantropo repetiu os principais argumentos dos defensores da lei, ao destacar que “regulamentar e aplicar impostos sobre a maconha pode economizar as contribuições de milhões de dólares destinados às forças de segurança e às caras incinerações da droga, e por sua vez representar milhões de dólares a cada ano ao erário público”.

“A lei não vai trazer imediatamente bilhões de dólares em recuros e não acabará de vez com os cartéis mexicanos da droga, mas seria um grande passo nesta direção”, disse Nadelmann.

Mas, apesar do apoio, uma pesquisa recente apontou a vitória do “não” (49% contra 44%), após meses de liderança do “sim” nas sondagens.

Os opositores ao projeto de lei são numerosos, tanto a nível local como internacional.

Na Califórnia, os principais candidatos aos cargos de governador, senador ou secretário de Justiça são contrários à legalização do consumo e cultivo de maconha.

O procurador-geral dos Estados Unidos, Eric Holder, já advertiu que pretende considerar todas as opções jurídicas e políticas para contra-atacar os efeitos no caso de aprovação do texto.

Muitas vozes também se manifestaram contra o projeto além das fronteiras da Califórnia.

Na terça-feira, autoridades de 10 países da América Latina manifestaram em uma reunião na Colômbia preocupação com a lei, ao apontar que os Estados Unidos não podem ao mesmo tempo “promover a criminalização de tais atividades em outros países e permitir a legalização da produção de drogas, aberta ou veladamente, em seu território”.

De acordo com estatísticas federais, quase 7% dos 37 milhões de californianos fumam maconha pelo menos uma vez por mês.

FONTE: http://g1.globo.com/mundo/noticia/2010/10/eleitores-da-california-vao-as-urnas-para-decidir-legalizacao-da-maconha.html

CONTATOS

facebook.com/observatorio

(98) 99999-9999

observatoriopoliticaspublicaslutasociais@yahoo.com.br