8/07/2010 12:00 am

"É UM DIREITO LEGÍTIMO DESMATAR", DEFENDE CNA

“É UM DIREITO LEGÍTIMO DESMATAR”, DEFENDE CNA

 


De O Estado de S.Paulo

Uma corrida por autorizações de desmatamento pode ocorrer até que a reforma do código florestal, aprovada anteontem em comissão especial da Câmara, vire lei. A previsão não foi feita por ambientalistas, mas pela presidente da Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA), senadora Kátia Abreu (DEM-TO), ao avaliar texto do deputado Aldo Rebelo (PCdoB-SP).

Leia também
Assuero Doca Veronez está em lista suja do Ibama

Perdão a desmatador custará R$10 bi 
Código Florestal e o Estado de Direito Ruralista
Protestos marcam dia seguinte

Kátia aponta pressão pela abertura de novas áreas para agricultura e pecuária em Mato Grosso e no Tocantins.

“É um direito legítimo querer desmatar dentro dos porcentuais permitidos da lei”, disse Assuero Veronez, presidente da comissão de meio ambiente da CNA. A proposta aprovada anteontem estabelece moratória no desmatamento durante cinco anos, a partir da publicação da lei.

O texto prevê, porém, exceção para as autorizações de corte da vegetação nativa concedida ou protocolada até a data da publicação da lei. Antes de ir à sanção presidencial, o texto tem de passar pela Câmara e Senado.

Dona de terras em Tocantins, Kátia disse que recorrerá à Justiça pelo direito de não recuperar áreas desmatadas no Cerrado, região que só passou a ter reserva legal em 1989. O projeto aprovado prevê que vale o porcentual de reserva legal em vigor na época do desmatamento. Mas há dificuldade para os produtores provarem quando houve o corte.

FONTE: http://www.mst.org.br/node/10229

CONTATOS

facebook.com/observatorio

(98) 99999-9999

observatoriopoliticaspublicaslutasociais@yahoo.com.br