28/01/2011 12:00 am

DENÚNCIA: CSPB METE A MÃO EM DINHEIRO DE EDUCADORES DO MA

DENÚNCIA: CSPB METE A MÃO EM DINHEIRO DE EDUCADORES DO MA

 

Mais de 40 mil trabalhadores em educação pública do Maranhão foram surpreendidos, hoje (27 de janeiro), por um desconto indevido em seus contracheques deste mês. O dinheiro foi retirado pela Secretaria de Administração em cumprimento a um mandado de segurança impetrado pela CSPB (Confederação dos Servidores Públicos do Brasil).

A tal entidade sindical, que se auto-intitula representante do funcionalismo, cobra por meio de ação na Justiça a contribuição sindical relativa ao ano de 2006. Assim, o desconto pode ter atingido não apenas os educadores, mas todos os servidores estaduais. Mais ainda, essa tal confederação já havia recebido outra contribuição referente àquele ano, também por meio de ação judicial em 2007.

A indignação tomou de conta de milhares de associados doSINPROESEMMA (Sindicato dos Trabalhadores em Educação Pública do Maranhão). Muitos ligaram para o sindicato denunciando a falcatrua. “Nunca ouvimos falar nessa entidade, como é que agora ela quer cobrar essa contribuição; é um absurdo”, afirmou Maria Oliveira. Já o professor Alberto Pereira disse que essa determinação da Justiça é um disparate. “Todos os anos fazemos mobilizações de rua, divulgadas amplamente pela imprensa, e nenhum desses ‘representantes’ apareceu para nos apoiar”, concluiu irritado.

No meio de uma pilha de documentos jurídicos visando sustar esse desconto irregular, a diretora de Finanças do SINPROESEMMA, professora Hilde Rocha, explicou que nenhum centavo desse dinheiro vai para o sindicato. “A ilegalidade começa porque nossa categoria tem uma confederação própria, a CNTE (Confederação Nacional dos Trabalhadores em Educação); é ela que organiza e mobiliza nossas lutas em nível nacional”.

A CNTE, à qual o SINPROESEMMA é filiado, realizou recentemente seu 31º Congresso. Foi a CNTE que liderou a luta pela criação do Fundef (Fundo de Desenvolvimento do Ensino Fundamental), Fundeb (Fundo para o Ensino Básico) e Piso Salarial Profissional Nacional (PSPN). É ela que debate o Plano Nacional de Ensino (PNE).

“A CSPB não trava nenhuma luta, mas quer receber dos servidores”, afirma Hilde Rocha, que disse que o SINPROESEMMA está tomando providências para evitar a transferência desses recursos dos trabalhadores para a CSPB. 

 

FONTE: http://www.sinproesemma.org.br/2011/1/27/cspb-quer-meter-a-mao-em-dinheiro-de-educadores-2156.htm

CONTATOS

facebook.com/observatorio

(98) 99999-9999

observatoriopoliticaspublicaslutasociais@yahoo.com.br