20/12/2011 12:00 am

Correa ressalta importância da entrada do Equador no Mercosul

Correa ressalta importância da entrada do Equador no Mercosul

 

O presidente do Equador, Rafael Correa, destacou nesta terça-feira (20) que é muito importante para seu país fazer parte do Mercado Comum do Sul (Mercosul), cuja cúpula de chefes de Estado ocorre em Montevideu, no Uruguai.

 

Em declarações à mídia, Correa assinalou que o Equador estuda a possibilidade, embora ainda não tenha solicitado formalmente a entrada no bloco – integrado por Argentina, Brasil, Paraguai e Uruguai, com a Venezuela em processo de adesão.

 

Correa considerou também que seria importante para o Mercosul, do qual o Equador é membro associado, “fortalecer-se com mais um Estado”.

 

Se o Equador passar a formar parte do organismo subregional, serviria como uma ponte para exportação de produtos, por sua localização na costa do Oceano Pacífico , o que resultaria em uma relação de duplo benefício.

 

Correa, que também participa da 42ª Cúpula de Chefes de Estado do Mercosul, assinalou que seu país necessita de uma “política comercial soberana no plano internacional em função das necessidades de nossa gente, seu bem-estar, seu futuro”.

 

Ele ressaltou que a visão comercial do Mercosul coincide muito mais com a visão do governo equatoriano que a do Grupo Andino, organismo do qual também faz parte.

 

Correa explicou que “o Mercosul repudia os Tratados de Livre Comércio; nós sofremos uma imensa pressão de certos grupos de poder nacionais e regionais para assinarmos esses TLCs, porque a Colômbia e o Peru os assinaram”.

 

O presidente equatoriano sublinhou que “ambos os países são soberanos, oxalá tenham tomado a decisão correta, nós, desde nosso ponto de vista, acreditamos que não seja a solução adequada”.

 

Nesta terça ocorre em Montevideu a 42ª Cúpula de Chefes de Estado do organismo, com uma agenda ampla de temas e na qual se destaca o tema da incorporação da Venezuela ao bloco, vetada somente pelo Congresso do Paraguai, que se não votou ainda a aceitação do país, manifesta oposição à filiação.

 

Com informações da Prensa Latina

http://www.vermelho.org.br/noticia.php?id_noticia=171531&id_secao=7

� <:0��/p>

 

“Embora agora não haja necessidade porque todos os países estão equilibrados, seriam importantes mecanismos de retaguarda financeira para eventuais fugas de capitais que possam haver nesses países.”

 

Venezuela

 

Os presidentes do Uruguai e do Paraguai, José Mujica e Fernando Lugo, respectivamente, ratificaram em um encontro bilateral o desejo de ambos de integrar a Venezuela ao bloco como membro pleno.

 

Em um encontro antes do início da Cúpula, os dois presidentes conversaram sobre as dificuldades que se puseram no caminho da integração da Venezuela ao bloco econômico regional, ressaltando que o parlamento paraguaio é o último obstáculo ao acesso venezuelano à condição de membro pleno.

 

Apoiado pela presidente argentina, Cristina Kirchner, Mujica propõe que a Venezuela ganhe status de sócio pleno até que o Senado paraguaio aprove o pedido, segundo afirmou o chanceler da Argentina, Héctor Timerman.

 

“Seria um ingresso provisório, enquanto o Legislativo do Paraguai dá sua aprovação. Estamos discutindo ainda. A decisão será dos presidentes”, disse Timerman.

 

Afastado das últimas cúpulas em consequência de um tratamento contra câncer, o presidente venezuelano Hugo Chávez participa desta cúpula, tendo desembarcado na manhã desta terça para acompanhar as discussões.

 

A entrada definitiva da Venezuela já foi aprovada pelos Poderes Legislativos de todos os países do Mercosul, exceto o Paraguai, onde o presidente Fernando Lugo tem minoria no Senado. A oposição paraguaia, de direita, fincou pé na decisão de não aprovar a entrada da Venezuela, usando como pretexto apenas questões políticas.

 

Com agências

http://www.vermelho.org.br/noticia.php?id_noticia=171541&id_secao=7

CONTATOS

facebook.com/observatorio

(98) 99999-9999

observatoriopoliticaspublicaslutasociais@yahoo.com.br