6/04/2011 12:00 am

CORREA PEDE APOIO DIANTE DE POSSÍVEIS REPRESÁLIAS DOS EUA

O presidente equatoriano, Rafael Correa, estimou que com a decisão de declarar persona no grata a embaixadora Heather Hodges haverá represálias dos Estados Unidos e assegurou que a América do Sul dará total respaldo neste caso ao Equador. 

“Ao menos na América Latina acabou o colonialismo e no Equador serão encontradas dignidade e soberania”, afirmou Correa, ao considerar que terá o respaldo dos países da União de Nações Sul Americanas (Unasul). 

Em entrevista à rádio local, na cidade de Puyo, província de Pastaza, o chefe de Estado afirmou que a embaixadora Hodges terá que sair do país por se negar a dar explicações sobre supostas mensagens de sua autoria reveladas pelo Wikileaks. 

A representante de Washington informou ao governo que no Equador existe corrupção na Polícia e que Correa nomearia o general Jaime Hurtado como Comandante Geral do corpo, mesmo conhecendo seu comportamento suspeito. 

A razão dele, segundo Hodges, é considerar que essa condição o faria “facilmente manipulável”. Mas, segundo Correa, essa declaração está “cheia de má fé”. Para Correa, sempre se suspeitou que a diplomata estadunidense, de extrema direita, era contrária a seu governo. 

O presidente assegurou que não conhecia o ex-comandante da Polícia Nacional, Jaime Hurtado, que está envolvido com atos de corrupção. Ressaltou ainda que esses ataques são porque Hurtado ajudou a impedir no país as unidades policiais financiadas pela CIA e pagas pela embaixada dos Estados Unidos. Para se defender, Correa declarou ainda que é o ministro do Interior que propõe esse cargo. 

Correa qualificou como muito grave a intromissão da diplomacia em assuntos internos, e enfatizou que as três páginas do Wikileaks possuem informações sobre sua Polícia, o que demonstra que há infiltrados nas forças de ordem. 

O presidente classificou como vergonhoso e indignante o comportamento da embaixadora Hodges, e assegurou que se isso tivesse acontecido com a embaixada do Equador, certamente teriam expulsado o embaixador equatoriano. 

“Que pena que estejam vigiando nossa Polícia e envolvendo o presidente da República nos casos de corrupção por culpa de uma má funcionária”, destacou. 

Fonte: Prensa Latina

 

FONTE: http://www.vermelho.org.br/noticia.php?id_noticia=151225&id_secao=7

CONTATOS

facebook.com/observatorio

(98) 99999-9999

observatoriopoliticaspublicaslutasociais@yahoo.com.br