23/10/2012 12:00 am

Contra proposta rebaixada da patronal, metalúrgicos de Minas Gerais intensificam mobilização

Contra proposta rebaixada da patronal, metalúrgicos de Minas Gerais intensificam mobilização

A campanha salarial dos metalúrgicos de Minas Gerais ganhou força nesta semana com paralisações e atos na porta das fábricas em Itaúna e Mateus Lema (MG).

 

Na manhã desta terça-feira ( 23), as trabalhadoras da empresa de autopeças Sumidenso, em Mateus Leme (MG), realizaram uma grande assembleia para aprovar o Estado de Greve contra a provocação patronal na proposta de reajuste salarial para este ano.

 

A Sumidenso é uma empresa de autopeças que tem 650 trabalhadores, em que 95% são mulheres. A pressão é muito grande e muitas companheiras tem sofrido com as LER/DORT.

Nesta terça-feira (23) houve mais uma rodada de negociações entre a patronal e a Fiemg (Federação dos Metalúrgicos de Minas Gerais).

 

“Mais uma vez a patronal fez uma proposta a conta-gotas e mostra que as empresas estão intransigentes para conceder um reajuste decente”, avaliou o diretor da Federação, Geraldo Araujo, o Batata.

 

Uma nova reunião foi agendada para quinta-feira (25), às 10h, na sede da Federação. A patronal realizará uma assembleia amanhã, às 9h.

 

Para Batata a resposta para a dureza nas negociações é a mobilização: “Só vamos quebrar a intransigência patronal com muita luta”, ressaltou.

 

Por isso, os metalúrgicos marcaram mobilizações para hoje e  quarta-feira, 24/10.

 

Em assembleia no Clube dos Metalúrgicos de Betim, domingo ( 21) foi recusada a proposta patronal e votado Estado de Greve, além de a Federação  iniciar negociação em separado com a FIAT e autopeças.

 

Veja a proposta da patronal apresentada na negociação de hoje:

 

Proposta patronal:

 

REAJUSTE

Empresas com até 50 funcionários: 6,0% em outubro e 0,5% em janeiro 2013

Empresas acima de 50 funcionários: 6,5% em outubro e 0,5% em janeiro 2013

PISOS SALARIAIS reajustados em 7%

Abono salarial reajustado em 7%

Somente para empresas que não negociaram PLR

 

A Fiemg também apresentou uma proposta de estabilidade até 31/12 mesclando com o período de aviso prévio. Prontamente a Federação recusou esta proposta e mantive a reivindicação de garantia de emprego até 31/12.

 

Contraproposta apresenta pela Fiemg:

 

REAJUSTE: 9,8%

REAJUSTE DE 14% nos pisos salarial

Abono de 1 piso salarial para todos os trabalhadores  e mudanças e melhorias nas cláusulas sobre Creche.

http://cspconlutas.org.br/2012/10/contra-proposta-rebaixada-da-patronal-metalurgicos-de-minas-gerais-intensificam-mobilizacao/

CONTATOS

facebook.com/observatorio

(98) 99999-9999

observatoriopoliticaspublicaslutasociais@yahoo.com.br