11/10/2011 12:00 am

Comunidades étnicas chilenas marcham por seus direitos

Comunidades indígenas do Chile marcharam nesta segunda (10) em comemoração ao Dia da Resistência Indígena, que se celebra quarta-feira (12), em meio ao descontentamento pela ausência de avanços do governo em matéria de direitos dos povos originários.

A população étnica em conjunto com organizações indígenas afirmaram a meios de comunicação locais que “não houve avanços” e que as relações com o governo são “totalmente anacrônicas”.

Pedem atenção por parte das autoridades governamentais que têm se omitido frente aos pedidos e necessidades dessas comunidades.

O porta-voz do Conselho de Todas as Terras, Aucán Huilcamán, afirmou esta segunda (10) que a responsabilidade de enfrentar um conflito histórico continua passando de mão em mão e não há fatos concretos.

O colonialismo persiste

“Persiste uma situação de colonialismo interno no qual os povos indígenas continuam sujeitos à legislação interna, sem reconhecimento de direitos específicos a sua particularidade enquanto povo”, observou o coordenador de Povos Indígenas do Observatório Cidadão.

Lembrou que uma das demandas assinaladas por esses povos “é a necessidade de reparação da dívida histórica que têm os Estados — e o Estado do Chile — com seus povos indígenas”.

Acrescentou que “o Governo deve acabar com a criminalização das zonas de conflito de terras e gerar mecanismos efetivos de consulta que permitam aos povos uma real participação”.

Os indígenas do Chile formam a parte mais pobre de toda sociedade, com os mais baixos índices de desenvolvimento, além de serem marginalizados pelo Estado.

Em muitos casos, os povos originários devem lutar pela conservação ou recuperação de seu território, processo ao qual é aplicada uma série de normas, como a questionável Lei Antiterrorista [que prevê a aplicação de prisão preventiva por dois anos, bem como o impedimento dos advogados de defesa de terem acesso à investigação ou interrogarem testemunhas, cuja identidade é considerada confidencial].

Fonte: Telesur

 

FONTE: http://www.vermelho.org.br/noticia.php?id_noticia=166032&id_secao=7

CONTATOS

facebook.com/observatorio

(98) 99999-9999

observatoriopoliticaspublicaslutasociais@yahoo.com.br