4/11/2010 12:00 am

COMISSÕES COBRAM SOLUÇÃO SOBRE MORTE DE LÍDER QUILOMBOLA

COMISSÕES COBRAM SOLUÇÃO SOBRE MORTE DE LÍDER QUILOMBOLA

Flaviano Neto foi executado com oito tiros de pistolas no fim de semana em São Vicente Férrer.

Imirante, com informações da TV Mirante

SÃO LUÍS – A Anistia Internacional vai acompanhar as investigações sobre a morte de um líder quilombola. Ele foi executado a tiros no fim de semana no interior do Estado. Ontem (3), grupos de direitos humanos pediram agilidade na prisão dos culpados.

 

Veja, ao lado, na reportagem de Honório Jacometto e Miguel Nery.

 

Os integrantes da Comissão de Direitos Humanos e da Pastoral da Terra cobraram uma solução para o caso da morte do líder das famílias quilombolas. Flaviano Neto, de 45 anos, foi executado com oito tiros de pistolas, que atingiram a cabeça do agricultor. O crime foi no fim de semana em São Vicente Férrer, a 280 quilômetros da capital. Quem mora na região vive agora com medo.

 

A Comissão de Direitos Humanos do Maranhão fez um levantamento recente e chegou a uma constatação preocupante: atualmente 21 líderes indígenas, ribeirinhos e quilombolas estão na mira de pistoleiros. Segundo a Comissão Pastoral da Terra o Maranhão é o Estado brasileiro com maior índice de conflitos agrários. Há alguns meses o presidente de uma associação de assentados também foi executado. Ele denunciou um suposto esquema de desvio de dinheiro do Incra na construção de casas.

 

A polícia diz que vai mapear as áreas no estado onde há possibilidade de conflitos. Mas que é impossível levar proteção ao campo.

 

Hoje (4), a Comissão Pastoral da Terra faz uma nova reunião com a Secretaria de Segurança Pública (SSP) do Estado para apontar quais são as cidades onde há possibilidade de conflitos armados.

FONTE: http://imirante.globo.com/noticias/2010/11/04/pagina258425.shtml

CONTATOS

facebook.com/observatorio

(98) 99999-9999

observatoriopoliticaspublicaslutasociais@yahoo.com.br