29/11/2010 12:00 am

COMEÇOU A CIMEIRA ÁFRICA-EUROPA

COMEÇOU A CIMEIRA ÁFRICA-EUROPA

 A III Cimeira África-União Europeia (UE), que hoje começou na capital líbia, Tripoli, veicula uma mensagem sobre a necessidade do reforço das políticas de integração regional para servir o futuro de África.
A cimeira, que conta com a participação de 80 chefes de Estado e de governo da União Africana (UA) e da União Europeia ou seus representantes, decorre sob o lema “Investimento, crescimento económico e criação de emprego”.O Vice-Presidente da República, Fernando da Piedade Dias dos Santos, que chegou ao princípio da noite de ontem a Tripoli, representa Angola na cimeira, que decorre sob fortes medidas restritivas à circulação de trânsito.
A integração regional e o estabelecimento de uma parceria estratégica com a UE para consolidar as capacidades do sector privado em África, são, entre outros, os temas que vão a debate hoje logo a seguir à sessão solene de abertura da cimeira.

Europeus  interessados em manter a parce ria 

O Presidente da Comissão Europeia (UE), José Manuel Durão Barroso, que também está em Tripoli, afirmou que a parceria estratégica entre África e a União Europeia “não é um simples caso de solidariedade, mas antes uma oportunidade para a Europa assegurar o seu crescimento futuro através das trocas comerciais”.
Durão Barroso indicou que a UE tem interesse em manter uma parceria estratégica “não só por uma questão de solidariedade para com África, mas porque esta pode tornar-se num grande mercado e numa oportunidade para a Europa encontrar fontes de crescimento”.
Segundo o Presidente da Comissão Europeia, a convicção é que se a paz e a segurança forem mantidas em África, a maioria dos países do continente deixa de se limitar a combater a miséria e trabalha para atingir taxas de crescimento económico mais elevadas. “A cooperação vai nos dois sentidos. É do interesse de África ter alianças estratégicas. No entanto, temos de passar de uma gestão estratégica da pobreza crónica para o crescimento”, afirmou Durão Barroso.
O financiamento da paz e da segurança constitui apenas uma fracção do montante total dos financiamentos exteriores que o bloco europeu disponibilizou em África e que se elevam para 24,4 mil milhões de euros para o período 2007-2014 para apoiar diversos projectos em África.
O presidente da Comissão Europeia disse que o compromisso da sua organização para apoiar a paz, a segurança e a estabilidade em África visa, precisamente, permitir ao continente atingir taxas de crescimento económico mais elevadas.

FONTE: http://jornaldeangola.sapo.ao/20/0/comecou_a_cimeira_africa-europa

CONTATOS

facebook.com/observatorio

(98) 99999-9999

observatoriopoliticaspublicaslutasociais@yahoo.com.br