19/01/2011 12:00 am

CHUVAS AMEAÇAM 82 MUNICÍPIOS DO MARANHÃO

CHUVAS AMEAÇAM 82 MUNICÍPIOS DO MARANHÃO

Para evitar tragédias, membros do Governo estadual criam comitê de crise para organizar ações de prevenção em municípios sujeitos a enchentes.

Carolina Mello 

São 82 os municípios em situação de risco devido às chuvas previstas para este ano no Maranhão. A maioria destas cidades está localizada nas regiões dos Lençóis, no Centro-norte do estado e na Baixada Maranhense. As informações são da Secretaria Estadual de Segurança Pública, através da Defesa Civil Estadual. O levantamento preciso das áreas de risco será apresentado na próxima sexta-feira (21), às 14h, no auditório do Palácio Henrique de La Rocque. Na ocasião, vão estar presentes os membros do Comitê de Crise formado para criar o “Plano Emergencial de Ações Preventivas” a possíveis enchentes e deslizamentos, além dos prefeitos das cidades potencialmente afetadas.

O Instituto Nacional de Meteorologia (INMET) prevê para 2011 chuvas intensas nas regiões Norte e Nordeste do país. Março e Abril prometem ser os meses mais chuvosos no estado de acordo com a previsão meteorológica. Segundo o secretário estadual de Segurança, Aluisio Mendes, o governo estadual gastou R$ 12 milhões para reverter os desastres causados pelas chuvas em 2009. Em virtude de cenário tão pouco favorável, o governo estadual resolveu criar um Comitê de Crise para lidar com possíveis problemas gerados pelo período chuvoso este ano no Maranhão. A primeira reunião foi ontem por volta das 16h, no Palácio Henrique de La Rocque. 
Foram deliberadas quais secretarias e parceiros serão estratégicas para medidas emergenciais – tais como Educação, na oferta de escolas para servirem de abrigos, e a Universidade Estadual do Maranhão (Uema), para contribuir com boletins meteorológicos. As principais competências de cada setor do governo foram esboçadas. Entretanto, o Plano de Ações Preventivas deverá ser montado a partir do encontro da próxima sexta, tomando por base o mapeamento das áreas de risco. Nessa reunião, os secretários envolvidos no comitê vão apresentar cada um o seu planejamento relativo às áreas de atuação. 

No encontro de ontem, alguns pontos críticos foram expostos. Aluisio Mendes atentou para a falta de materiais em estoque, como barracas, colchões e alimentos não perecíveis. “Nós não temos esses materiais necessários para o primeiro atendimento das vítimas, e a chuva começa na semana que vem”, falou. A secretária estadual de Desenvolvimento Agrário e Agricultura Familiar Conceição Andrade salientou a importância de envolver os prefeitos das cidades afetadas, além da Defesa Civil Municipal e Assembleia Legislativa desses municípios. Mendes acrescentou que as equipes municipais foram treinadas e estão aptas a responder em situação de emergência.

 

FONTE: http://www.oimparcialonline.com.br/noticias.php?id=70196

CONTATOS

facebook.com/observatorio

(98) 99999-9999

observatoriopoliticaspublicaslutasociais@yahoo.com.br