25/01/2011 12:00 am

CHÁVEZ ESTÁ PRESTES A ELIMINAR IMPRENSA LIVRE, DIZEM TELEGRAMAS AMERICANOS

CHÁVEZ ESTÁ PRESTES A ELIMINAR IMPRENSA 
LIVRE, DIZEM TELEGRAMAS AMERICANOS

 

Mais documentos vazados pelo site WikiLeaks mostram preocupação dos EUA

Os Estados Unidos consideraram que o presidente da Venezuela, Hugo Chávez, se aproxima de “sua meta de domesticar ou eliminar os meios de comunicação livres e independentes”, graças à pressão política e econômica que exerce sobre eles, segundo revela documentos divulgados nesta segunda-feira (24) pelo site WikiLeaks.

“Chávez continua reduzindo a capacidade dos meios de comunicação privados de servir como contrapeso democrático”, afirma um telegrama emitido em fevereiro de 2010 pela embaixada americana em Caracas e publicado pelo jornal espanhol El País.
O texto foi escrito pelo então embaixador americano, Patrick Duddy.

– Com os diretores da Globovisión suavizando seu tom e contando os dias que lhe restam e as aparentemente terríveis condições econômicas dos meios de comunicação impressos, Chávez está perto de sua meta de ‘domesticar’ ou eliminar os meios independentes que restam na Venezuela.

Segundo a correspondência diplomática, Duddy realizou encontros com diretores do canal privado Globovisión, que foi ameaçado de ser fechado em diversas ocasiões pelo governo e tem vários procedimentos administrativos abertos. O canal é acusado de ter apoiado uma tentativa de golpe contra Chávez em 2002.

Também se reuniu com autoridades do jornal El Nacional, muito crítico ao governismo.

Sócios da Globovisión fugiram para os EUA

Os representantes da Globovisión confessaram ao embaixador que precisaram se despedir de seu diretor, Alberto Ravell, perante as ameaças que receberam por parte de “funcionários de alto escalão do governo” de fechar o canal ou atacar outros negócios dos donos da rede de televisão.

Atualmente, dois dos sócios majoritários da Globovisión, Guillermo Zuloaga e Nelson Mezerhane, são requeridos pela justiça e fugiram aos EUA, alegando perseguição política.

Por sua vez, funcionários do El Nacional disseram a Duddy que sem “uma substancial ajuda financeira”, o jornal poderia quebrar em breve.

Os diretores do jornal, que inclusive perguntaram ao embaixador se os EUA poderiam ajudá-los economicamente, explicaram que a imprensa venezuelana sofreu uma “forte perda de anunciantes já que as companhias foram nacionalizadas ou são ameaçadas pelo governo”.

CONTATOS

facebook.com/observatorio

(98) 99999-9999

observatoriopoliticaspublicaslutasociais@yahoo.com.br