5/03/2012 12:00 am

Cerca de 29 milhões de camponeses mexicanos vivem na precariedade

Cerca de 29 milhões de camponeses mexicanos vivem na precariedade

 

Mais de 29 milhões de camponeses mexicanos não têm poder aquisitivo suficiente para comprar a cesta básica de alimentos, segundo revelou um relatório sobre os efeitos do Tratado de Livre Comércio da América do Norte (TLCAN, ou Nafta, em inglês) e da reforma do Artigo 27 da Constituição mexicana.

 

Segundo o documento, elaborado por especialista do Centro de Análise Multidisciplinar (CAM) da Universidade Nacional Autônoma do México (UNAM), 34% da população rural não tem acesso a nenhuma renda, enquanto 25% só tem acesso ao salário mínimo e 27% atinjam a renda de até dois salários mínimos.

 

Neste estudo, dirigido pelo pesquisador Daid Lazano Tovar, demonstra-se que por causa do aumento do custo dos produtos básicos (maioria dos alimentos), as famílias camponesas perderam 44% de seu poder aquisitivo, desde que o presidente Filipe Calderón assumiu a presidência do país latino-americano em 2006.

 

Além disso, o relatório aponta que a migração nas comunidades rurais aumentou para 41% nos últimos 6 anos, enquanto a redução dos preços dos produtos agrícolas e o aumento dos gastos nos materias do campo agravam os efeitos da crise agraria no México.

 

Em 1992, com a reforma constitucional do Artigo 27, de acordo com o relatório, generalizou-se a diminuição da atividade produtiva, à medida em que se reduziu a participação dos setores básicos na formação do Produto Interno Bruto (PIB), o que ocasionou um “despovoamento gradual e constante do campo”.

 

Fonte: Blog o povo na luta faz história

http://www.vermelho.org.br/noticia.php?id_noticia=177183&id_secao=7

CONTATOS

facebook.com/observatorio

(98) 99999-9999

observatoriopoliticaspublicaslutasociais@yahoo.com.br