7/06/2010 12:00 am

CENTRAIS SINDICAIS COBRAM REFORMA AGRÁRIA, LIMITE DA PROPRIEDADE E NOVOS ÍNDICES DE PRODUTIVIDADE

CENTRAIS SINDICAIS COBRAM REFORMA AGRÁRIA, LIMITE DA PROPRIEDADE E NOVOS ÍNDICES DE PRODUTIVIDADE
Por Igor Felippe Santos
Da Página do MST

As centrais sindicais Central Única dos Trabalhadores (CUT), Central de Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil (CTB), Central Geral dos Trabalhadores do Brasil (CGTB), Força Sindical e Nova Central Sindical de Trabalhadores (NCST) defenderam a realização da Reforma Agrária, a instituição de limites de tamanho para a propriedade rural e a atualização dos índices de produtividade, na Assembleia Nacional da Classe Trabalhadora, realizada na terça-feira.

Mais de 20 mil trabalhadores e trabalhadoras participaram da assembleia, realizada no estádio do Pacaembu, em São Paulo. O MST foi convidado para participar da atividade, organizada por centrais que representam mais de 70% dos trabalhadores sindicalizados do país.

Leia também
Boas perspectivas de luta – leia editorial do Brasil de Fato
Leia a plataforma das centrais sindicais
CMS reafirma compromisso com a Reforma Agrária
Via Campesina apresenta plataforma para a agricultura
Leia a plataforma da CMS

“Precisamos de uma Reforma Agrária Popular para criar empregos no campo e produzir alimentos saudáveis para a população das cidades”, disse João Paulo Rodrigues às mais de 20 mil pessoas.

“As empresas transnacionais vem para o campo brasileiro por meio do agronegócio explorar o povo brasileiro e os nossos recursos naturais”, denunciou. “Estamos sendo envenenados pelos agrotóxicos do agronegócio”.

A Assembleia Nacional da Classe Trabalhadora aprovou o documento unificado das centrais sindicais com propostas políticas e econômicas do trabalhadores, que será apresentado à sociedade no debate eleitoral. (clique aqui e leia a plataforma)

De acordo com dados do Ministério do Trabalho, divulgados em março, a CUT registrou índice de representatividade de 38,23% dos trabalhadores sindicalizados. Em seguida está a Força Sindical, com 13,71%; a CTB, com 7,55%; a Nova Central, com 6,69%; e Central Geral dos Trabalhadores do Brasil, com índice de representatividade 5,04%.

Durante a conferência, foram apresentados quatro vídeos com a síntese da plataforma das centrais. Abaixo, veja o vídeo que trata da agricultura familiar e da Reforma Agrária (a partir de 2 minutos e 22 segundos) e depois a transcrição do trecho

FONTE: http://www.mst.org.br/Centrais-cobram-ReformaAgraria-limite-propriedade-indices-produtividade%20

CONTATOS

facebook.com/observatorio

(98) 99999-9999

observatoriopoliticaspublicaslutasociais@yahoo.com.br