21/09/2012 12:00 am

Categorias em campanha salarial participam de ato unificado na Avenida Paulista, em São Paulo

Categorias em campanha salarial participam de ato unificado na Avenida Paulista, em São Paulo

Diversas categorias que estão em campanha salarial marcaram presença no ato unificado convocado para esta quinta-feira (20), em importante centro financeiro da capital paulista, a Avenida Paulista. Bancários, trabalhadores dos Correios, petroleiros, metalúrgicos, entre outros setores uniram-se para chamar atenção da população para as reivindicações da Campanha Salarial 2012.

 

Além dos diversos sindicatos que representam essas categorias, participaram da manifestação as centrais sindicais CUT, quem convocou o ato, CSP-Conlutas, Força Sindical, CTB e Intersindical. Todas defenderam ações unitárias que proporcionem o fortalecimento das lutas que estão ocorrendo.

 

Em nome da CSP-Conlutas e do Sindicato dos Metroviários de São Paulo, Altino Prazeres, saudou as diversas categorias que estão em greve e reforçou a necessidade da unificação. “A CSP-Conlutas acredita e busca a unidade de todos os trabalhadores, para que suas lutas sejam fortalecidas”, disse.

 

 Altino citou também a conquista dos metalúrgicos de São José dos Campos de 8,24% dos quais 2,7% são aumento real e a campanha salarial dos servidores públicos. “Eles enfrentaram a justiça, o corte de ponto, mas devido à unidade e à força da mobilização, conseguiram quebrar a intransigência do Governo Federal que foi obrigado a apresentar propostas”, ressaltou.

 

 O metroviário lembrou ainda das lutas que vêm ocorrendo na Europa, tanto as manifestações recentes em Portugal que reuniram em torno de 500 mil pessoas e a dos mineiros espanhóis em defesa dos postos de trabalho naquele país.

 

 Polêmica sobre o Acordo Coletivo Especial – Altino falou também sobre as campanhas abarcadas pela Central, entre elas o combate ao Acordo Coletivo Especial (ACE). Ele denunciou que o projeto flexibiliza a CLT e, em consequência, os direitos dos trabalhadores, ao permitir que o negociado prevaleça sobre o legislado.

 

Esse posicionamento causou divergência com o presidente da CUT, Vagner Freitas, que disse que a CUT não defende projetos que ataquem os direitos dos trabalhadores – o projeto do ACE foi elaborado pelo Sindicato dos Metalúrgicos do ABC, filiado à CUT.

 

 A denúncia do Acordo Coletivo Especial está sendo incorporada nas pautas mais gerais das campanhas salariais de categorias dirigidas por entidades filiadas à Central, assim como as demais bandeiras da Central: o fim do Fator Previdenciário e do Fator 85/95, que restringem a aposentadoria, e a tentativa do Governo de regulamentar o direito de greve no serviço público.

Unificação das lutas – A Secretaria Executiva Nacional da CSP-Conlutas, reunida nesta quinta-feira (20), reforçou a orientação às entidades filiadas e oposições nas categorias em luta, que defendam e organizem atos unificados como o que foi o realizado em São Paulo.

 

A denúncia do Acordo Coletivo Especial está sendo incorporada nas pautas mais gerais das campanhas salariais de categorias dirigidas pelas nossas entidades filiadas, assim como as demais bandeiras da Central: pelo fim do Fator Previdenciário e não à proposta do Fator 85/95, que restringem a aposentadoria; e não à tentativa do Governo de regulamentação da greve no serviço público que visa restringir esse direito.

http://cspconlutas.org.br/2012/09/categorias-em-campanha-salarial-participam-de-ato-unificado-na-avenida-paulista-em-sao-paulo/

CONTATOS

facebook.com/observatorio

(98) 99999-9999

observatoriopoliticaspublicaslutasociais@yahoo.com.br