28/01/2011 12:00 am

CASTELO LANÇA PACTO EM PROL DO CENTRO HISTÓRICO DE SÃO LUÍS

CASTELO LANÇA PACTO EM PROL DO CENTRO HISTÓRICO DE SÃO LUÍS

O prefeito de São Luís, João Castelo, firmou, na manhã desta quinta-feira (27), com empresários da capital maranhense, um termo de parceria para a “Aliança pelo Centro Histórico”, que resultará em diversas ações de melhorias urbanísticas, culturais, funcionais e sociais no patrimônio histórico da cidade.

 

“O que estamos propondo é um pacto entre o poder público, a iniciativa privada e a sociedade civil para que possamos reunir forças, ideias e experiências em favor da recuperação deste nosso imenso e valioso patrimônio, que é uma das mais ricas heranças culturais do Brasil”, declarou João Castelo.

 

João Castelo proferiu o discurso durante a abertura do workshop “Centro Histórico de São Luís: Desafios e oportunidades”, promovido pela Prefeitura de São Luís em parceria com o Banco Mundial (Bird). O evento, instalado no Quality Grand São Luís, prossegue até o final da tarde desta sexta-feira (28).

 

Na abertura do evento, foi firmado o termo de parceria da Aliança pelo Centro Histórico entre representantes da Prefeitura de São Luís e empresários da capital. Acompanhado da primeira-dama e ex-prefeita Gardênia Gonçalves, o prefeito João Castelo lançou um apelo público. “Eu faço aqui um pedido todo especial. Eu conclamo as classes produtivas, os poderes públicos em todos os níveis e toda a nossa sociedade, para que todos se engajem neste projeto, onde cada um de nós precisa dar a sua parcela de colaboração”, ressaltou.

 

O prefeito explicou que o principal objetivo do projeto é a implantação de um sistema de gestão compartilhada (poderes público e privado e sociedade civil) para monitorar e realizar serviços urbanísticos, culturais, funcionais e sociais em toda a área do Centro Histórico.

 

O secretário municipal de Turismo, Liviomar Macatrão, disse, durante o evento, que um dos aspectos mais importantes é a participação de empresários, representantes de órgãos de preservação, de empresas do ramo turístico, profissionais liberais e potenciais investidores do projeto.

 

Segundo Macatrão, o projeto foi concebido pelas secretarias municipais de Projetos Especiais (Sempe), de Turismo (Setur) e de Planejamento (Seplan) e pela Fundação Municipal de Patrimônio Histórico (Fumph) e contará com a pareceria das secretarias municipais de Obras e Serviços Públicos (Semosp), de Comunicação (Secom), de Trânsito e Transportes (SMTT), de Assistência Social (Semcas), de Segurança com Cidadania (Semusc), de Habitação e Urbanismo (Semuhr) e do Instituto Municipal de Paisagem Urbana (Impur).

 

“O que estamos buscando são parcerias como forma de contribuir para a proposição e fortalecimento de ideias e ações práticas de gestão compartilhada de modo a garantir melhorias ao Centro Histórico”, frisou Liviomar Macatrão.

 

O secretário municipal de Projetos Especiais, Francisco Barros, observou que durante o encontro estão sendo enfocados casos de sucesso e desafios de cidades que também se mobilizaram e se destacam em trabalhos envolvendo os seus respectivos centros históricos, como São Paulo, Porto Alegre (RS), Recife e Olinda (PE), além da apresentação de representantes de Portugal e da Itália, que falam de experiências com planejamento, gestão e infraestrutura de centros históricos dos dois países.

 

“Este evento é da maior importância, porque propicia o intercâmbio de ideias e informações entre os agentes interessados em melhorar a implantação dos serviços públicos, provocar um efeito multiplicador dos investimentos econômicos e aumentar a capacidade de gestão da iniciativa privada para alcançar objetivos públicos”, frisou Francisco Barros.

 

Parceria com o Banco MundialDurante a solenidade, que contou também com a presença do presidente da Associação Comercial do Maranhão (ACM), Haroldo Cavalcante Júnior, e do presidente da Federação das Indústrias do Maranhão (Fiema), Edílson Baldez das Neves, a representante do Banco Mundial, Kim Cuenco, destacou a importância da cooperação do Bird com a Prefeitura de São Luís.

 

“O Centro Histórico de São Luís, que é uma rica herança cultural, não pode ser considerado um problema; tem de ser valorizado como uma excepcional oportunidade econômica”, salientou Kim Cuenco.

 

O prefeito João Castelo anunciou que, a partir de agora, haverá equipes permanentes de limpeza no Centro Histórico. Ele entregou a um dos membros destas equipes, Julimar de Oliveira Pessoa, um kit com uniformes que serão usados pelos agentes de limpeza que atuarão, especificamente, na área histórica da cidade.

 

Separado por módulos e mesas-redondas, o evento conta com a participação de nomes nacionais e internacionais. Para falar sobre as experiências internacionais, foram convidados profissionais como André Barbosa, José Hugo Machado, José Catarino Tavares, José Aguiar e José Pinto Duarte, da Faculdade de Arquitetura da Universidade Técnica de Lisboa; e Ana Pinho, comissária da Carta Estratégia de Lisboa e consultora do município de Lisboa para o Plano Estratégico e no Comitê Europeu das Regiões. O diretor da empresa italiana Keya, Luigi Agostino, falou sobre desenvolvimento de projetos comerciais viáveis em áreas histórias.

 

Rota turísticaNa tarde desta quinta-feira (27), representantes do Bird e técnicos estrangeiros participaram de um city-tour pelo Centro Histórico, com destaque para o roteiro cultural, que inclui a Praça Benedito Leite e Mercado da Praia Grande. O passeio é uma das atividades do projeto Caminhos da Memória, da Fundação Municipal de Patrimônio Histórico (Fumph) de São Luís

 

O projeto de revitalização do Centro Histórico de São Luís terá início com 24 ruas onde há maior fluxo de turistas e depois será ampliado. Dentro do plano, serão desenvolvidas atividades de estruturação da Comissão da Aliança pelo Centro Histórico, que será a responsável pela gestão do projeto; intervenções na limpeza urbana com equipes capacitadas e específicas para atuar no local; requalificação dos espaços e serviços públicos; eventos culturais no local e mobilização social.

 

O Centro Histórico de São Luís possui 107 mil metros quadrados de área urbana tombada pelo Iphan, envolvendo cerca de 1.200 edificações e constituindo o mais extenso e valioso conjunto de arquitetura colonial portuguesa do século XIX.

 

Etapa inicial

(Área de atuação)

  1. Rua da Estrela;
  2. Av. D. Pedro  II;
  3. Rua de Nazaré;
  4. Largo e escadaria do Carmo;
  5. Praça  e escadaria Nauro Machado;
  6. Praça da Criança;
  7. Rua do Giz;
  8. Praça Benedito Leite (palácio do comércio)
  9. Rua da Palma;
  10. Rua Humberto de  Campos;
  11. Praça João Lisboa;
  12. Rua Portugal;
  13. Rua da Alfândega.
  14. Rua Godofredo Viana
  15. Rua da Paz
  16. Rua do Sol
  17. Rua João Vital de Matos
  18. Beco Catarina Mina
  19. Rua João Gualberto
  20. Travessa Boa Ventura (Fluvial)
  21. Rua 14 de Julho
  22. Rua Afonso Pena
  23. Rua do Egito
  24. Beco da Sé

 

 

FONTE: http://www.saoluis.ma.gov.br/frmNoticiaDetalhe.aspx?id_noticia=2953

CONTATOS

facebook.com/observatorio

(98) 99999-9999

observatoriopoliticaspublicaslutasociais@yahoo.com.br