19/04/2010 12:00 am

CARTA INTERNACIONAL DOS ATINGIDOS PELA VALE

CARTA INTERNACIONAL DOS ATINGIDOS PELA VALE
Nós, mais de 160 participantes de 80 organizações, movimentos sociais e sindicais da
Alemanha, Argentina, Brasil, Canadá, Chile, Equador, França, Itália, Moçambique, Nova Caledônia, Peru, Taiwan,
nos reunimos nos dias 12 a 15 de abril de 2010 no Rio de Janeiro para o I Encontro Internacional de Populações, Comunidades, Trabalhadores e Trabalhadoras atingidos pela política agressiva e predatória da companhia Vale.

A propaganda da Vale nos lembra todos os dias que ela é brasileira e que trabalha com “paixão” para promover o “desenvolvimento sustentável” internacionalmente e para garantir um futuro para nossas crianças. Utiliza em suas propagandas a imagem de pessoas ilustres e artistas famosos. No entanto, durante o Encontro Internacional constatamos que sendo ela uma empresa transnacional, trabalha única e exclusivamente para seus acionistas e para o grande capital. Denunciamos as violações dos direitos humanos, exploração de trabalhadores e trabalhadoras, precarização das condições de trabalho, destruição da natureza e o desrespeito às comunidades tradicionais, periferias urbanas e sindicalistas.
Os depoimentos mostram as resistências e conquistas de trabalhadores e comunidades que convivem com empreendimentos de longo prazo como os localizados em Barcarena, Marabá, Parauapebas no Pará e em Açailândia e São Luís-MA (Eixo Carajás); Sudbury, Voisey’s Bay, Thompson e Port Colborne, no Canadá; minas de níquel na Nova Caledônia e na Indonésia; minas de ferro em Itabira e Congonhas-MG; hidrelétrica de Aimorés – MG; Siderurgia de Anchieta- ES; Companhia Siderúrgica do Atlântico – TKCSA-RJ. Outras lutas de enfrentamento à instalação de empreendimentos ou contra a sua execução, como: complexo siderúrgico de Pecém-CE; usina termoelétrica de Barcarena-PA, Pantanal-MS; Hidrelétrica de Belo Monte-PA; Projeto Rio Colorado na Argentina, depósito de rejeitos na lagoa Sandy Pond, Newfoundland,Canadá; Serra do Gandarela e Capão Xavier-MG, novos projetos de mineração em doze localidades da Bahia, Canaã dos Carajás e Ourilândia-PA; Projeto Tres Valles no Chile, projetos em Cajamarca e San Martin de Sechura no Peru e a mina de carvão de Moatize em Moçambique.
A vida das comunidades, dos trabalhadores e trabalhadoras e de todo o planeta deve estar acima do lucro desenfreado das grandes empresas transnacionais. Atrás de uma falsa imagem verde e amarela, a Vale destrói e mata ecossistemas e comunidades inteiras. Estamos aqui porque acreditamos na vida e no bem viver. Estamos aqui porque resistimos. Estamos aqui porque os bens da natureza devem estar nas mãos dos povos. Estamos aqui porque acreditamos na humanidade e na sua capacidade de luta.
A partir desse momento fortaleceremos o seguimento e denúncia de cada passo dessa empresa, ampliando a luta, a resistência e a construção de alternativas a esse modelo explorador e depredador. Assim, convocamos as comunidades que atualmente sofrem com os grandes empreendimentos mineradores, a sociedade civil, os trabalhadores e trabalhadoras da Vale, movimentos e organizações sociais, pastorais sociais, estudantes e professores para participar da construção desse novo momento da luta internacional de enfrentamento à Vale.
TRABALHADORES EXPLORADOS, FAMÍLIAS DESPEJADAS, NATUREZA DESTRUÍDA… ISSO VALE?
GLOBALIZEMOS A LUTA, GLOBALIZEMOS A ESPERANÇA!

Assinam:

ADUFRJ – Secao Sindical
BR

Agence Kanak de Development
New Caledônia

Agrupacion Defensa Valle Chalinga
Chile

Amigos da Terra Brasil / Casa – Centro de Apoio Socioambiental
BR

Associação em defesa de reclamantes e vitimados por doença do trabalho na cadeia produtiva de alumínio e mineração
BR

Asambla Popular por el Agua
Argentina

Ass. Comunitária de Apoio e Assistência jurídica
Moçambique

Ass. de Lavradores da Colonia Santa Rita
BR

Assembleia Popular
BR

Associacao de Advogados de Trabalhadores Rurais- AATR
BR

Associacao de Moradores da Chapada do Á
BR

Associacao de Moradores de Belo Horizonte
BR

Associacao de Moradores de Chapada
BR

Associacao de Moradores de Piquia
BR

Associacao de Moradores de Ubu Anchieta
BR

Associacao de Pescadores e Moradores de Uba – Anchieta
BR

Associacao dos Moradores do Porto
BR

Associacao Mov. Paulo Jackson Ética, Justiça e Cidadania
BR

Baia de Sepetiba pede Socorro (Comitê)
BR

Centro de Apoio e Pesquisa ao Pescador
BR

Centro para a Integridade Política
Moçambique

CNTSM – Conf. Nac. Dos Trabalhadores do Setor Mineral
BR

Colectivo Comunal de Reflexos Sechura
Peru

Comissão Pastoral da Terra
BR

Comitê de Defensa Valle Chuchiñi
Chile

Comuna Verde
BR

Comunidade do Curupere – Vila do Conde
BR

Comunidade Congonhas
BR

Comunidad Campesina San Martin de Sechura
Peru

Conlutas
BR

Consulta Popular
BR

CPDA
BR

CPT Bahia
BR

Desenvolvimento e Paz
Canadá

ECOA – Ecologia e Ação
BR

ETTERN/IPPUR/UFRJ
BR

FASE
BR

FIAN – Rede de Informação e ação pelo direito a se alimentar
BR

FIOCRUZ
BR

Fórum Carajás
BR

Frente defensa Cuenca Rio Cajamarquino
Peru

Fundação Open Society-Angola
BR

Gambá- Grupo Ambientalista da Bahia
BR

Gesta – UFMG
BR

GRUFIDES – Grupo de Formación e Intervención para El Desarollo Sostenible
Peru

Grupo de Estudos e Pesquisas Trabalho e Sociedade (GEPTS) / UFMA
BR

Grupo de Estudos sobre Mineração / Pós graduação UFRJ
BR

Grupo de Estudos: Desenvolvimento, Modernidade e Meio Ambiente (GEDMMA / UFMA)
BR

IEB – Instituto Internacional de Educação do Brasil
BR

IIEB
BR

IBASE
BR

ILAESE
BR

Instituto Rosa Luxemburgo
BR

Justiça Global
BR

Justiça nos Trilhos
Brasil

Kobra / FDCL
Alemanha

Liga de Justiça Ambiental
Moçambique

MAB – Movimentos dos Atingidos por Barragens
BR

Mines and Communities

MiningWatch Canadá
Canadá

Misereor
Alemanha

Missionários Combonianos de Salvador
BR

Movimento pelas Serras e Águas de Minas
BR

MST – Movimento dos Trabalhadores Rurais sem Terra
BR

MTD – Movimento dos Trabalhadores Desempregados
BR

NINJA (Núcleo de investigação em Justiça Ambiental)
BR

Núcleo Piratininga de Comunicação
BR

Núcleo Tramas – Univ. Federal do Ceará
BR

Observatório Latinoamericano de Conflictos Ambientales – OLCA
Chile

OCMAL – Observatório de Conflictos Mineros em America Latina
Equador

Org. Indígena do Ceará (Anacé)
BR

Organización Ambiental de Salamanca – OCAS
Chile

Pastoral do menor
BR

PACS
BR

PCB (Partido Comunista Brasileiro)
BR

PPGSA /IFCS/ UFRJ
BR

Presidente Associ. de Moradores Comunidade Antonio Maria Coelho
BR

PSTU
BR

Rede Alerta Contra o deserto Verde
BR

Rede Brasil sobre Instituições Financeiras Multilaterais
BR

Rede Comuna Verde – GAMA
BR

Rede Social de Justiça e Direitos Humanos
BR

Rede Brasileira de Justiça Ambiental
BR

Red de Organizaciones Sociales de La Província Del Choapa
Chile

Salve a Selva
BR / Alemanha

Sindicato dos trabalhadores e trabalhadoras rurais – STTR
BR

Sindicato dos trabalhadores Ferroviários MA, PA e TO / CUT -MA
BR

Sindicato Metabase – Congonhas – MG
BR

Sindicato Metabase – Itabira – MG
BR

Sindimina –RJ
BR

SINTEPP – Sindicato dos Trabalhadores em educação pública do Pará
BR

Sinticim –Sindicato
Moçambique

Sociedade Maranhense de Direitos Humanos –SMDH
BR

Sociedade Paraense de defesa dos direitos humanos – SDDH
BR

Terra de Direitos
BR

UNAC (União Nacional de Camponeses- Moçambique)
Moçambique

United Steelworkers, Canadian National Office
USW Local 6500 Sudbury
USW Local 6200 Port Colborne
USW Local 9508 Voisey’s Bay
Canadá

Via Campesina Brasil
BR

FONTE: http://www.justicanostrilhos.org/nota/374

CONTATOS

facebook.com/observatorio

(98) 99999-9999

observatoriopoliticaspublicaslutasociais@yahoo.com.br