19/09/2011 12:00 am

Caravana da Paz mexicana exige fim da violência em Veracruz

A Caravana da Paz do movimento civil mexicano continuou neste domingo (18) seu percurso pelo estado de Veracruz, onde continua exigindo o fim da onda de assassinatos, sequestros e extorsão nessa localidade.

Com a chegada a Veracruz, os manifestantes completam o percurso pelos territórios conhecidos como a rota do Imigrante (Oaxaca, Chiapas e Veracruz), onde se multiplicam as denúncias de violação dos direitos destes grupos.

De acordo com organizações humanitárias, no ano passado mais de 11 mil pessoas consideradas imigrantes ilegais foram sequestradas por grupos criminosos, além dos abusos de alguns membros das autoridades migratórias.

A cada ano passam por terras mexicanas cerca de 400 mil pessoas de maneira ilegal, procedentes de Honduras, Guatemala, El Salvador e Nicarágua para tentar passar pela fronteira norte do país aos Estados Unidos.

Nesse trajeto são sequestrados, extorquidos, torturados e assassinados, segundo as denúncias do padre Alejandro Solalinde e outros religiosos, como o frei Tomás González Castillo, que sofrem também várias ameaças por seu apoio aos imigrantes.

Neste sábado, durante algumas horas, González Castillo foi detido arbitrariamente por um grupo de militares, a retornar de uma reunião da Caravana da Paz em Palenque, Chiapas.

Também o veículo do poeta Javier Sicília, líder da caravana pacifista do movimento cidadão, recebeu um protocolo de segurança, depois de uma possível emboscada quando se dirigia para Coatzacoalcos, Veracruz, proveniente de Villahermosa, Tabasco.

O carro do poeta foi detido por sua escolta e policiais federais em alerta, o que ativou a realização de um escudo ao redor de seu veículo durante 15 minutos.

Sicília viajava acompanhado de seus carros-escoltas, já que o resto da caravana havia se adiantado a Coatzacoalcos horas antes.

Emilio Álvarez Icaza, ex-presidente da Comissão de Direitos Humanos do Distrito Federal, indicou à imprensa que acompanha a caravana, que a tentativa de atentado foi informada à Secretária de Governo, além de se exigir maior proteção da caravana, com mais de 600 integrantes.

O poeta Sicília conseguiu chegar a Coatzacoalcos sem nenhum incidente, mas a Polícia Federal deteve vários veículos suspeitos ao longo da estrada para evitar qualquer situação de risco.

A Caravana da Paz soma mais de três mil quilômetros pelos estados do sul, dos quais já foram percorridos Guerrero, Oaxaca, Chiapas e Tabasco.

De Veracruz, onde passou no domingo, a caravana se desloca a Puebla, para depois seguir ainda nesta segunda-feira (19) para o Distrito Federal, de onde partiram em 9 de setembro passado.

Prensa Latina

FONTE: http://www.vermelho.org.br/noticia.php?id_noticia=164255&id_secao=7

CONTATOS

facebook.com/observatorio

(98) 99999-9999

observatoriopoliticaspublicaslutasociais@yahoo.com.br