5/11/2010 12:00 am

CAPITAIS TÊM CRESCIMENTO INFERIOR À MÉDIA NACIONAL, APONTA CENSO

CAPITAIS TÊM CRESCIMENTO INFERIOR À MÉDIA NACIONAL, APONTA CENSO

O ritmo de crescimento populacional nas 11 maiores cidades do país nos últimos 10 anos foi inferior à média do país, segundo os dados iniciais do Censo 2010, divulgados nesta quinta-feira (4). A data de referência do levantamento é 1º de agosto de 2010. As informações definitivas da contagem serão divulgadas no dia 29 deste mês.

De acordo com o IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), que coordena o Censo, a população do Brasil é de 185.712.713 habitantes, contra 169.799.170 de 2000, data do penúltimo Censo, o que representa um crescimento de 9,37%.

As populações somadas dos 11 municípios brasileiros mais populosos — São Paulo, Rio de Janeiro, Salvador, Brasília, Fortaleza, Belo Horizonte, Manaus, Curitiba, Recife, Porto Alegre e Belém— é de 33.709.509 habitantes. Em 2000, a população das mesmas cidades juntas era de 32.223.596, o que indica uma variação positiva de 4,61%, menos da metade da média de crescimento populacional do país no mesmo período.

Das 11 cidades, somente Manaus e Brasília cresceram acima da média nacional. A capital do Amazonas cresceu 22,24% na década e chegou a 1.718.584 habitantes. Já a população da capital federal variou 20,3% e hoje é de 2.469.489. O IBGE considera a população de Brasília todos os habitantes do Distrito Federal, incluindo as cidades-satélites.

Porto Alegre, Belo Horizonte e Salvador registraram os menores índices de crescimento populacional. A população da capital gaúcha cresceu apenas 0,32% (o que representa 4.449 habitantes), chegando a 1.365.039 habitantes. Em BH, que tem 2.258.096 habitantes, o crescimento foi de 0,87%. Na capital baiana a população variou de 2.443.107, em 2000, para 2.480.790, em 2010, o que indica crescimento de 1,54%, segundo a prévia.

Resultado inferior

O número de habitantes contabilizados no país foi menor do que as estimativas de população do IBGE, realizadas anualmente, que levam em conta taxas de natalidade, mortalidade e migração. Em 2009, a estimativa era de que a população brasileira fosse de 191.480.630 de habitantes — o que representa uma queda de 3% no Censo 2010.

As prefeituras terão 20 dias para apresentar suas avaliações sobre os números divulgados. Durante esse prazo, o IBGE continuará trabalhando nas ruas internamente na supervisão e no controle de qualidade de todo o material coletado.

Uma das atividades de supervisão consiste no retorno aos domicílios onde o recenseador encontrou evidência de morador, mas ninguém foi recenseado. Os técnicos do IBGE visitaram 67.275.459 domicílios, em 5.565 municípios brasileiros, dos 26 estados e do Distrito Federal.

Informações UOL

FONTE: http://www.vermelho.org.br/noticia.php?id_noticia=140809&id_secao=10

CONTATOS

facebook.com/observatorio

(98) 99999-9999

observatoriopoliticaspublicaslutasociais@yahoo.com.br