25/11/2010 12:00 am

BRUXELAS QUER REFORÇAR SECTOR PRIVADO AFRICANO PARA APOIAR LUTA CONTRA A POBREZA

BRUXELAS QUER REFORÇAR SECTOR PRIVADO AFRICANO PARA APOIAR LUTA CONTRA A POBREZA

 A União Europeia vai defender na III Cimeira com África, em Tripoli (Líbia), o reforço do sector privado como forma de alcançar o crescimento económico necessário ao desenvolvimento e luta contra a pobreza.

Fonte comunitária sublinhou hoje, em Bruxelas, que a mega reunião entre 80 chefes de Estado e de Governo servirá para dar “uma nova dimensão e mais ambiciosa” à cooperação entre os dois continentes”.

A cimeira entre União Europeia (UE) e África, em representação de 1,5 mil milhões de pessoas, tem como tema “Investimento, Crescimento Económico e Criação de Emprego”.

Trata-se do terceiro encontro de líderes europeus e africanos depois do primeiro se ter realizado no Cairo (Egipto) em 2000 e o segundo em Lisboa em 2007, durante a presidência portuguesa da União Europeia (UE).

A parceria UE-África, decidida em Lisboa em 2007 estabeleceu que os dois lados, em pé de igualdade, pretendem ir além da política tradicional de ajuda ao desenvolvimento e alcançar “interesses e objetivos estratégicos comuns”.

Durante a Cimeira de Tripoli, os participantes deverão defender um “crescimento inclusive e durável” como motor principal do desenvolvimento e da luta contra a pobreza.

A fonte conclui que o reforço do setor privado e a sua participação acrescida são indispensáveis para alcançar esse objetivo, assim como uma maior cooperação nos domínios das Alterações Climáticas e da Paz e Segurança.

Os líderes deverão assim concentrar as suas discussões sobre a forma como os dois continentes podem progredir para alcançar os objetivos prioritários: favorecer o crescimento durável e o emprego e ultrapassar os efeitos da crise económica e financeira, nomeadamente através da criação de um ambiente mais favorável às empresas e investimentos.

A Comissão Europeia considera que desde 2007 a estratégia comum entre a UE e África permitiu “progressos notáveis” em domínios como os Objetivos de Desenvolvimento do Milénio, a paz e a segurança, a integração regional e o comércio.

A fonte reconhece que Europa e África devem fazer mais para remediar a fragmentação das políticas e dos instrumentos financeiros.

Na declaração comum, que será aprovada no final da cimeira, os líderes deverão realçar a importância que a sua parceria estratégica significa a nível mundial, a única estabelecida entre dois continentes.

A reunião deverá ainda relançar os esforços com vista a alcançar os Objetivos de Desenvolvimento do Milénio.

Prevê-se nesta área a adoção de um plano de ação comum 2011-2013 que definirá as medidas concretas que devem se seguidas ou lançadas em domínios estratégicos. 

(Este texto foi escrito ao abrigo do novo Acordo Ortográfico)
Lusa 

FONTE: http://noticias.sapo.mz/info/artigo/1108587.html

CONTATOS

facebook.com/observatorio

(98) 99999-9999

observatoriopoliticaspublicaslutasociais@yahoo.com.br