7/01/2011 12:00 am

BRASILEIROS CONTINUAM OTIMISTAS SOBRE SITUAÇÃO SOCIOECONÔMICA DO PAÍS, DIZ IPEA

BRASILEIROS CONTINUAM OTIMISTAS SOBRE SITUAÇÃO SOCIOECONÔMICA DO PAÍS, DIZ IPEA

De acordo com estudo do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea), divulgado nesta quinta-feira (6), os brasileiros continuam otimistas em relação à situação socioeconômica do País. Em dezembro, o Índice de Expectativas das Famílias (IEF) caiu apenas um ponto em relação ao do mês anterior, passando de 65,6 para 64,6.

Taxas até 20 pontos indicam grande pessimismo; de 20 a 40, pessimismo; de 40 a 60, moderação; de 60 a 80, otimismo; e de 80 a 100, grande otimismo. De acordo com o Ipea, a queda do índice foi registrada em todas as regiões, exceto no Sudeste. A pesquisa foi realizada em 3.810 domicílios de 214 municípios de todos os estados.

O Centro-Oeste voltou a apresentar a maior pontuação em dezembro (70,49) e o Sul ficou logo em seguida, com 68,53 pontos. O Sudeste manteve o otimismo em ascensão, atingindo 64,97 pontos. Por outro lado, as regiões Norte e Nordeste apresentaram quedas significativas no otimismo. No Nordeste, a taxa caiu de 64,67 para 61,82 pontos, e no Norte, de 64,25 para 60,54.

Para o chefe da assessoria da presidência do Ipea, Milko Matijascic, a queda na média nacional pode ser reflexo do momento de transição no governo federal e nos governos estaduais. “Há uma natural incerteza sobre os rumos, mas o nível de segurança é bastante elevado”, afirmou.

Sobre a situação econômica do País no curto prazo, a pesquisa aponta que 60,4% das famílias acreditam que o Brasil passará por melhores momentos nos próximos 12 meses, índice 3,6 pontos percentuais menor do que o registrado no mês anterior.

Além disso, 57,5% delas esperam o mesmo cenário para os próximos cinco anos. A proporção de famílias que acreditam que o Brasil vai atravessar piores momentos é de 20% e 16,6%, para o curto e médio prazos, respectivamente.

O maior grau de confiança na melhora econômica do País em dezembro foi registrado entre famílias com rendimento de cinco a dez salários mínimos e com ensino médio completo. Ao contrário dos meses anteriores, a expectativa das famílias com menor renda (até 1 salário mínimo e sem escolaridade) ficou um pouco abaixo da registrada no resto da população.

De acordo com o estudo, o otimismo é menor quando se consideram as expectativas em relação ao consumo – 41,2% das famílias acreditam que o atual momento não é ideal para a aquisição de bens de consumo duráveis, enquanto 54,3% creem que o momento é propício para o consumo.


Fonte:
Agência Brasil

 

FONTE: http://www.brasil.gov.br/noticias/arquivos/2011/01/06/brasileiros-continuam-otimistas-sobre-situacao-socioeconomica-do-pais-diz-ipea

CONTATOS

facebook.com/observatorio

(98) 99999-9999

observatoriopoliticaspublicaslutasociais@yahoo.com.br