20/12/2010 12:00 am

BOLÍVIA RECONHECE PALESTINA COMO ESTADO INDEPENDENTE

BOLÍVIA RECONHECE PALESTINA COMO ESTADO INDEPENDENTE

O presidente da Bolívia, Evo Morales, anunciou que, nesta semana, o país vai reconhecer a Palestina como Estado independente, decisão já tomada por Brasil, Uruguai e Argentina. Outros países, como Equador, Paraguai e Peru também devem seguir os mesmos passos, informaram fontes oficiais da Palestina.

“A Bolívia enviará uma carta ao presidente da Palestina reconhecendo como Estado independente e soberano”, disse na última sexta (17) Evo Morales em uma coletiva de imprensa, no Paraguai.

“Na próxima semana, vamos enviar aos organismos internacionais” a decisão da Bolívia de reconhecer a Palestina como um dos membros da comunidade internacional, informou a TV Telesur, ao tratar de uma reunião dos chefes de Estado da Bolívia, do Uruguai, José Mujica, e do Paraguai, Fernando Lugo.

O reconhecimento boliviano ao Estado Palestino independente e com as fronteiras de 1967 ocorre depois de Brasil e Argentina tomarem a mesma decisão no início de dezembro. O Uruguai formalizará as relações diplomáticas com a Palestina no começo de 2011, com a instalação de uma embaixada nos Emirados Árabes.

O presidente palestino, Mahmoud Abbas, expressou satisfação com o reconhecimento por parte da Bolívia, segundo a agência oficial palestina Wafa.

O negociador palestino, Saeb Erekat, também agradeceu “ao povo irmão boliviano e ao seu presidente, Evo Morales” e afirmou que o reconhecimento “é um grande passo na direção correta, alinhado com o Direito Internacional e coerente com a política exterior das nações latinoamericanas”.

Equador, Paraguai e Peru estão cuidando dos últimos detalhes “para declarar o reconhecimento ao Estado palestino em coordenação com a Autoridade Nacional Palestina (ANP)”, anunciou o ministro de Assuntos Exteriores palestino, Riyad al-Maliki, à emissora de rádio Voz da Palestina. 

Maliki indicou que estão sendo realizados intensos esforços para garantir mais adesões de países da África e Ásia, como passo prévio à reivindicação ao Conselho de Segurança da ONU para que reconheça o Estado palestino independente, algo ao qual a liderança palestina recorrerá “quando chegar o momento adequado”.

Os palestinos estão buscando vias alternativas ao processo de paz iniciado em setembro passado com os israelenses com a mediação de Washington, estagnado há quase três meses por causa da ampliação das construções de colônias judaicas em território palestino, após uma detenção de 10 meses.

O Estado da Palestina, proclamado em 1998 em Argel, conta atualmente com o reconhecimento de 104 países. Israel condenou a onda de reconhecimentos que, segundo o país, apenas prejudicaria o atual processo de paz. 

Com agências

 

FONTE: http://www.vermelho.org.br/noticia.php?id_noticia=144058&id_secao=7

CONTATOS

facebook.com/observatorio

(98) 99999-9999

observatoriopoliticaspublicaslutasociais@yahoo.com.br