29/11/2010 12:00 am

BACELAR RELATA PREOCUPAÇÃO COM DESEMPREGO EM GUSERIAS

BACELAR RELATA PREOCUPAÇÃO COM DESEMPREGO EM GUSERIAS

Jacqueline Heluy
Agência Assembleia

A audiência pública realizada na última quarta-feira (23) para tratar sobre questões trabalhistas do Pólo Guseiro de Açailândia ganhou destaque na sessão de ontem (quinta-feira, 25). Inicialmente, o assunto foi abordado pelo deputado Antonio Bacelar (PV), que ressaltou a preocupação com o “efeito cascata” que os desempregos nas guserias pode ocasionar na Região Tocantina. “Não é só o metalúrgico que estará desempregado. Essa situação vai ocasionar desemprego nas carvoarias, nas borracharias, nas marcenarias e no comércio de uma maneira geral”.

Antonio Bacelar transmitiu aos deputados a informação prestada na audiência, pelo empresário Cláudio Azevedo, presidente do Sindicato das Indústrias de Ferro Gusa do Estado do Maranhão (Sifema), de que o índice de desemprego que vem ocorrendo no Polo Guseiro de Açailândia se deve ao preço majorado do minério de ferro. Ele apontou a empresa Vale como responsável pelo alto custo do produto, fato que vem afetando as guseiras.

“O que nós queremos discutir são, efetivamente, alternativas viáveis para que o Polo Guseiro de Açailândia não feche e não traga o desemprego em massa à cidade tão próspera e que já se constituiu no segundo maior PIB do Maranhão e da região do Nordeste brasileiro”, afirmou.

Como saída imediata para resolver a situação, Bacelar aponta o investimento em pesquisas, a fim de descobrir novas reservas de minérios de ferro para atender ao Polo Guseiro de Açailândia e outros que queiram se instalar em território maranhense.

Segundo Antônio Bacelar, o último mapeamento geológico do Maranhão foi feito há 20 anos pela Companhia de Pesquisas e Recursos Minerais (CPMR). “Mas nós precisamos avançar em uma escala geológica. Precisamos fazer o mapeamento das nossas reservas minerais porque todos nós hoje sabemos que o Maranhão está deixando de ser um estado iminentemente agrícola para se tornar um estado altamente produtor através da produção dos insumos minerais”.

PREPARAÇÃO

Ele chamou atenção para a necessidade do estado se preparar e se capacitar com mão-de-obra especializada para não deixar que a iniciativa privada nacional e internacional venha para o estado explorar as reservas minerais de forma a que os maranhenses não participem e o Estado não se beneficie dos royalties produzidos por esse bem mineral tão importante que estão jazendo em solos maranhenses.

“Pela potencialidade mineral que desponta hoje, com o petróleo de Barreirinhas, o gás natural e tantos outros, é necessário que o nosso estado se prepare. A Refinaria Premium da Petrobras, em Bacabeira, é um projeto nacional, cujos efeitos positivos já estão vindo para o Maranhão e para os maranhenses. É necessário que nós, maranhenses, estejamos preparados e qualificados para a ocupação dessa mão de obra que é muito grande”, advertiu Bacelar.

Além da ocorrência de petróleo e de gás natural, Bacelar também destacou as riquezas auríferas que ocorrem no Noroeste do Maranhão, a exemplo da mina de ouro na região de Aurizona, entre os municípios de Godofredo Viana e Luiz Domingos.

FONTE: http://www.jornalpequeno.com.br/2010/11/26/bacelar-relata-preocupacao-com-desemprego-em-guserias-138808.htm

CONTATOS

facebook.com/observatorio

(98) 99999-9999

observatoriopoliticaspublicaslutasociais@yahoo.com.br