10/09/2012 12:00 am

Ato é realizado contra medida do Governo Inglês que ataca estudantes da London Met

Ato é realizado contra medida do Governo Inglês que ataca estudantes da London Met

O governo inglês, como parte do corte de verbas para a educação e o aprofundamento de um modelo de universidade privado e repressivo, cancelou a permissão da London Met  (Universidade Metropolitana de Londres) continuar tendo programas com estudantes vindos de outros países. Utilizando-se de uma lei, aprovada nos últimos anos, em que as Universidades são obrigadas a cumprir um papel de policia informando para as autoridades as atividades diárias dos estudantes de outros países que frequentam seus cursos, cancelou a autorização para que estudantes de outros países possam continuar cursando seus cursos nesta Universidade. A London Met é conhecida por ser uma Universidade mais aberta para estudantes com menos dinheiro e recursos.

A lei, absolutamente reacionária e policialesca, coloca para as Universidades a obrigação de fornecer periodicamente relatórios com informações diárias das atividades dos estudantes. Frequência, atividades extracurriculares e mesmo “informar qualquer tipo de atividade suspeita”.

 

Com a alegação de que os relatórios da London Met não cumpriam com as exigências legais, suspenderam a permissão para oferecer cursos para alunos de outros países, e deram um prazo de 60 dias para que os cerca de 2.600 estudantes nesta situação busquem outras Universidades para estudarem. Caso não encontrem, estes estudantes terão seus vistos suspensos e serão imediatamente mandados de volta para seus países de origem.

 

Essa é uma variação da mesma politica repressiva implantada por Rodas na USP, com sua tentativa de expulsar cerca de 200 estudantes que estão respondendo a processos internos por participarem das mobilizações e manifestações do Movimento Estudantil.  Ou ainda dos processos criminais contra os estudantes do Chile e de Quebéc, no Canadá, que tem organizado e participado das mobilizações em defesa da Educação e Universidade Pública em seus países.

A discriminação, perseguição e criminalização mostram a sua cara: xenofobia e autoritarismo, ataques ao direito democrático. A Universidade para os negócios não pode permitir o diferente, a contestação, o debate. Ante qualquer destes elementos, vigilância, controle, perseguição, expulsão.

http://cspconlutas.org.br/2012/09/ato-e-realizado-contra-medida-do-governo-ingles-que-ataca-estudantes-internacionais-da-london-met/

CONTATOS

facebook.com/observatorio

(98) 99999-9999

observatoriopoliticaspublicaslutasociais@yahoo.com.br