23/07/2010 12:00 am

ATENDIMENTO NA UPA ITAQUI-BACANGA É TEMA DE DEBATE

ATENDIMENTO NA UPA ITAQUI-BACANGA É TEMA DE DEBATE

Representantes dos conselhos de Saúde da área Itaqui-Bacanga se reuniram, nesta sexta-feira (23), com o secretário de Estado da Saúde (SES), José Márcio Leite. No encontro foi debatido o atendimento na Unidade de Pronto Atendimento (UPA). Desde que foi entregue pelo Governo do Estado, na área Itaqui-Bacanga, em São Luís, há 30 dias, a unidade de saúde já realizou 5.460 atendimentos. A UPA é resultante de uma parceria entre os governos Federal e do Estado para urgência clínica e pediátrica.

“Nesta primeira fase, experimental, estamos com as equipes médicas promovendo atendimentos, verificando o fluxo e as doenças prevalentes na região para que possamos estabelecer os protocolos clínicos”, explicou José Márcio.

A reunião aconteceu no auditório da SES, com a participação da diretora da UPA, Ana Eugência Araújo e representantes de saúde do Residencial Primavera, Vila Embratel, Alto da Esperança, Gapara, Vila Bacanga, Vila Ariri, Dom Luis e Vila Maranhão.

José Márcio Leite compara a UPA a uma ambulância do Samu fixo que recebe o paciente, estabiliza e depois, se for o caso, encaminha para um hospital especializado. “A UPA faz somente os atendimento pré-hospitalar de urgência e as pessoas precisam estar conscientizadas sobre os casos que podem ser encaminhados para a unidade”.

Na área estão localizadas a Unidade Mista Itaqui-Bacanga, Hospital da Mulher, Maternidade Maria da Penha, Clodomir, Embrião e centros de saúde na Vila Embratel, São Raimundo, Gapara, Vila Nova e Yves Pargas (Vila Maranhão).

“Precisamos contar com a parceria dos líderes e conselheiros de saúde para que possamos encaminhar à UPA apenas os casos de urgência clínica e pediátrica”. Segundo ele, 5.460 atendimentos realizados nestes primeiros 30 dias, apenas 15% deveriam ter sido atendidos na UPA.

Para os conselheiros, a reunião serviu para esclarecer dúvidas que existiam. Marcos José Melo de Sousa, coordenador do Distrito Itaqui-Bacanga, explicou que os conselheiros trabalham como multiplicadores das informações. “Vamos levar para nossa comunidade o que foi conversado neste encontro para que possamos encaminhar para a UPA apenas os casos necessários”.

Os representantes da saúde convidaram o gestor estadual para um novo encontro, desta vez na área do Itaqui-Bacanga, para reunir com a comunidade e explicar o funcionamento da UPA.

Regionalização

José Márcio informou que a SES está discutindo, com a Secretaria Municipal de Saúde de São Luís e a Comissão Intergestores Biparte (CIB), a proposta de adoção do Samu regionalizado como um novo modelo de organização do sistema de atendimento de urgência (móvel e fixo), que prevê o funcionamento das unidades conforme a demanda de sete áreas distintas.

A proposta propiciará à população atendimento especializado. A idéia é seguir o modelo adotado nas Unidades de Pronto Atendimento (UPAs), que tem como objetivo inicial ser um suporte para atendimentos de emergência, dando prioridade a atendimentos de casos específicos.

FONTE: http://www.ma.gov.br/agencia/noticia.php?Id=10813

CONTATOS

facebook.com/observatorio

(98) 99999-9999

observatoriopoliticaspublicaslutasociais@yahoo.com.br