18/04/2011 12:00 am

AS REIVINDICAÇÕES DOS TRABALHADORES DA USINA SÃO DOMINGOS

A lista de reivindicações que os trabalhadores de São Domingos apresentaram ao consórcio Engevix/Galvão é um rosário de itens da exploração patronal.

A lista de onze reivindicações dos trabalhadores ao consórcio Engevix/Galvão, que constrói a usina São Domingos é um verdadeiro libelo contra o padrão “ditadura militar” usado pelas empresas contra os trabalhadores e resume, de forma previsível, o mesmo nível de opressão e exploração a que são submetidos os trabalhadores da construção civil nas grandes obras em curso no país.

Eles reclamam de: baixos salários; descontos de faltas inexistentes; não pagamento de horas extras; truculência dos seguranças, que muitas vezes agride os trabalhadores (é uma das principais reclamações): péssimas condições do alojamento e refeitório; dificuldade para comunicação com os familiares e isolamento; proibição de sair do alojamento e ir à cidade; quando reclamam, são ou forçados a pedir demissão ou assediados moralmente.

A lista de onze pontos 

Os trabalhadores querem:

1 – Faltas inexistentes descontadas. Os trabalhadores reclamam do desconto de dias, sem que os mesmos tenham faltado. Quando reclamam são forçados a pedir demissão e assediados moralmente;
2 – Truculências dos seguranças – A segurança patrimonial Rondai não está qualificada para tratar com os trabalhadores e acaba perdendo a razão e agredindo os mesmos.
3 – Más condições dos alojamentos – Os trabalhadores reclamam que há vazamento de esgotos próximo aos vestiários, alojamentos e até dos refeitórios, provocando cheiro insuportável;
4 – Falta de pagamento de horas extras;
5 – Diversos problemas nos horários de refeições (muita fila) – Os trabalhadores denunciam que há apenas uma catraca para controlar a entrada centenas de pessoas no refeitório;
6 – Isolamento por falta de comunicação com seus familiares;
7 – Baixos salários – Reivindicam que o sindicato da categoria tenha acesso ao contrato entre a Eletrosul e o consórcio para que possa ser negociado em momento oportuno melhores salários para os trabalhadores;
8 – Falta de transportes durante a semana – Eles reclamam que são proibidos de ir para a cidade durante a semana, mesmo que tenham necessidades e que só é permitida a ida dos encarregados e que a empresa fornece transporte somente para esses;
9 – Pagamento das horas “in intineres” – reivindicam que a empresa pague as horas referentes entre a saída do alojamento ao local de trabalho e vice-versa.
10 – Libertação dos trabalhadores detidos pela polícia de forma arbitrária;
11 – Reivindicam que seja constituída a figura do delegado sindical como interlocutor “Sindicado dos trabalhadores, consórcio e Eletrosul” (José Carlos Ruy).

 

FONTE: http://www.vermelho.org.br/noticia.php?id_noticia=152148&id_secao=1

CONTATOS

facebook.com/observatorio

(98) 99999-9999

observatoriopoliticaspublicaslutasociais@yahoo.com.br