25/11/2010 12:00 am

ARMAMENTO APREENDIDO É DESTRUÍDO PELO EXÉRCITO

ARMAMENTO APREENDIDO É DESTRUÍDO PELO EXÉRCITO

Thamirys D’Eça

Da equipe de O Estado

Duas mil quatrocentas e trinta e sete armas, número considerado recorde, foram destruídas na manhã de ontem na Passarela do Samba em solenidade promovida pelo 24º Batalhão de Caçadores Barão de Caxias. O momento foi acompanhado por várias autoridades. Os objetos triturados serão encaminhados para Açailândia, onde serão incinerados.

As armas foram apreendidas no decorrer deste ano em parceira das polícias Federal, Civil e Militar. Entre o armamento destruído, havia metralhadoras, espingardas, armas caseiras, fuzis, revólveres de calibres variados, pistolas e carabinas. “Tudo foi recolhido como cumprimento da lei do desarmamento, de combate ao crime. É uma missão que temos. Essas armas todas são ilegais e merecem ser destruídas”, explicou o comandante do 24º Batalhão, coronel Carlos Henrique Guedes.

Segundo o comandante da Polícia Militar (PM), coronel Franklin Pacheco, a maioria das armas foi recolhida durante ações de combate a conflitos latifundiários, assaltos a banco e fiscalizações. “Todos os órgãos estiveram reunidos nessas apreensões. São armas ilegais e não podem ser reutilizadas”, explicou.

Esmagadas – Para a destruição, foi usado um rolo compressor que passou quatro vezes por cima do material para garantir o total esmagamento. Além dos coronéis Guedes e Franklin, a ação foi acompanhada por outras autoridades como o secretário Municipal de Segurança, Luís Carlos Magalhães; o vice-presidente da Associação Comercial, Douglas Pinho; representante da Advocacia Geral da União, Renata Moreira, e o desembargador Mário Lima Reis.

O número de armamento destruído este ano foi superior ao dos anos anteriores. Em 2008, foram trituradas 1.436 armas e no ano seguinte, o número foi de 1.500. “Este ano foi um recorde. Podemos dizer que o estado está mais seguro, já que estas armas foram recolhidas de várias partes do Maranhão”, comentou coronel Guedes.

Após o armamento ser destroçado, foi feito desfile de oficiais acompanhados de banda. Em seguida, o material foi recolhido e colocado em caixotes, que depois foram trancados para que pudessem ser enviados ao município de Açailândia, onde serão colocados em forno para serem incinerados.

Fonte: Imirante.com

FONTE: http://www.portaldomaranhao.com.br/2007/?pg=ler&id=22338

CONTATOS

facebook.com/observatorio

(98) 99999-9999

observatoriopoliticaspublicaslutasociais@yahoo.com.br