31/08/2012 12:00 am

ANPG ocupa Congresso por mais investimento em pesquisa

ANPG ocupa Congresso por mais investimento em pesquisa

 

Entre os dias 28 e 30 de agosto os pós-graduandos cumpriram uma intensa agenda na Capital Federal para reivindicar uma política permanente de valorização das bolsas de pesquisa e buscar apoiadores para o projeto de lei conhecido como PL dos Pós-Graduandos. Reuniões, manifestações, atos políticos e blitz no Congresso. Essa foi a Caravana dos Pós-Graduandos a Brasília, promovida pela Associação Nacional de Pós-graduandos (ANPG).

 

 

A presidenta da ANPG, Luana Bonone, falou com exclusividade ao Vermelho e relatou que faz um balanço positivo sobre a Caravana. “Foi uma ação importante, estratégica para os pesquisadores na luta pelo reajuste das bolsas e um projeto de lei que regulamente uma política para os pós-graduandos”, destacou. Mesmo envolvida com as atividades, ela fez questão de ressaltar a Leia das Cotas Sociais, sancionada na quarta-feira (29), pela presidenta da República, Dilma Rousseff.

 

“A democratização do acesso ao ensino superior é uma demanda levantada há anos pelos movimentos sociais. O Estado brasileiro assume uma postura justa e necessária, que deve ser acompanhada do fortalecimento do Ensino Médio público”, comentou Luana, acrescentando que a escola brasileira precisa ter qualidade e valorizar seus professores.

 

Além disso, enfatizou a importância de uma política estudantil que contribua com as mudanças: “A expansão da universidade pública precisa continuar em ritmo acelerado e com garantia de qualidade e políticas de permanência desses novos estudantes na instituição, o que significa assistência estudantil e ampliação do número de bolsas, em diversas modalidades, do ensino médio à pós-graduação.”

A Caravana

 

A Caravana foi marcada por atividades que buscaram agregar apoiadores às reinvindicações dos pós-graduandos. Estiveram presentes alunos integrantes de 16 Associações de Pós-Graduandos (APGs), além de representantes de universidades e movimentos pró-APG.

 

Na reunião de quarta-feira (28), os líderes estudantis foram recebidos pelo presidente do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq), Glaucius Oliva. Na ocasião as pautas do movimento científico foram apresentadas com intuito de garantir o compromisso da agência de fomento na defesa de uma política de valorização e nos encaminhamentos para a consolidação do PL. O caráter estratégico dessa demanda foi reconhecido pelo presidente, que afirmou que atuará como interlocutor junto ao governo.

 

Glaucius ressaltou o esforço que a agência tem feito no sentido de mudar a situação do quadro comprimido da pós-graduação brasileira e anunciou a criação de novos programas. Um deles é o “Ciência Inovadora” que pretende estimular a inovação tecnológica e social com vistas à interação com a comunidade e aos interesses locais. De acordo com o presidente, esses jovens beneficiados, serão daqui 10 anos a cara da ciência brasileira. Os programas foram apresentados no conselho deliberativo da agência e já percorrem o caminho para sua implementação.

 

O presidente destacou o papel da ANPG na luta dos pesquisadores brasileiros. “Vocês possuem uma visão que vai muito além dos interesses imediatos. É um engajamento essencial para a ciência e tecnologia.”, afirmou.

 

Brasília com as cores dos pós-graduandos

Nem o sol forte que fez em Brasília na quinta-feira (29) desanimou os estudantes que pintaram o Ministério da Educação (MEC) com as cores do movimento. Enquanto os diretores e representantes das APGs seguiram para reunião com o ministro da Educação, Aloízio Mercadante, parte dos estudantes permaneceram no entorno do prédio, panfletando, produzindo cartazes e dialogando com os transeuntes. Berenice, estudante da Escola Superior de Agricultura da USP, enquanto pintava o gramado da esplanada, contou sobre a expectativa para os resultados da Caravana.

 

“Esperamos que o Ministro ouça as nossas reivindicações. A ciência já fez muita coisa pelo país, e é ela quem impulsiona o Brasil para frente.”

 

Aloízio Mercadante ouviu as demandas da pós-graduação e garantiu que os 10% de reajuste nas bolsas de pesquisa para o primeiro trimestre de 2013 está confirmado e não há possibilidade de recuo.

 

O ministro citou alguns dados para comparação: Diversas categorias estão em greve e, neste quadro, a 3º maior proposta de reajuste, até agora, é da ANPG que contabiliza pouco mais de 20% – considerando o reajuste de 10%, feito em Julho de 2012 e o 10% previsto para Janeiro de 2013. Outros setores receberam a proposta de 15,8%, divididos em três anos partir de 2013.

 

De acordo com a ANPG garantir o reajuste é prioritário, mas construir uma política permanente de valorização é estratégico, por isso, a consolidação do PL dos pós-graduandos se faz tão necessário.

“Voltaremos para as nossas universidades com a tarefa de ampliar o debater acerca dessa pauta, discutir o seu conteúdo e, principalmente, convencer a base parlamentar de sua importância”, afirmou Luana Bonone, presidenta da ANPG, na plenária final.

 

Uma moção direcionada à presidente Dilma foi elaborada nos dias que antecederam a caravana. A presidência não pode receber os pós-graduandos, mas direcionou o pedido ao Ministério da Ciência e Tecnologia (MCTI), que representado pelo secretário executivo, Luiz Antônio Rodrigues Elias, reuniu-se com os universitários.

 

Blitz no Congresso

Divididos em grupos, os estudantes percorreram os gabinetes da câmara e senado federal numa Blitz pelo Congresso. Com panfletos, adesivos e cartazes os deputados foram abordados e apresentados as pautas. Embora o movimento no congresso federal neste período seja menor, os estudantes consideraram a atividade positiva. André Vieira, estudante de Física na Unicamp, acredita que deste encontro com os parlamentares há de surgir efeito. “Precisamos encontrar deputados que incorporem a nossa causa e reconheçam legitimidade do nosso projeto. Somente realizando atividades como essa que fizemos hoje, conseguiremos dar bons rumos a pós-graduação brasileira.“

 

Próximos Passos

 

Os participantes voltaram com tarefas a serem cumpridas. Os saldos da caravana foram positivos e devem ser alinhados aos próximos passos. Trata-se da continuidade de uma jornada que deverá fortalecer a luta nas bases, convictos de que é preciso avançar nas conquistas e atender as necessidades dos pós-graduandos, possibilitanto uma pesquisa de qualidade voltada ao desenvolvimento do país.

 

Da redação, com ANPG

http://www.vermelho.org.br/noticia.php?id_noticia=192624&id_secao=8

CONTATOS

facebook.com/observatorio

(98) 99999-9999

observatoriopoliticaspublicaslutasociais@yahoo.com.br