16/09/2011 12:00 am

Ambientalistas rejeitam 'Via Expressa' em área verde

Moradores do conjunto do Maranhão Novo, por meio da Associação dos Amigos e Usuários do Parque Ecológico (Assuape), realizaram, na manhã de hoje (15), um abraço simbólico à área, em protesto contra a construção da “Via Expressa” – obra do governo estadual que, segundo os manifestantes, vai destruir a área verde existente no bairro. A comunidade relatou que o parque tem três hectares, abrigando mais de 1.200 árvores de grande porte. Algumas das espécies são protegidas por lei, como o pau-brasil, o ipê e a maçaranduba.

Segundo o ambientalista Getúlio Brenha Rodrigues, presidente da Associação dos Amigos e Usuários do Parque Ecológico do Maranhão Novo (Assuape), no projeto Via Expressa consta a construção de uma rotatória dentro do Parque Verde.

Para Getúlio, a “Via Expressa” tem seu lado positivo, porém vem sendo feito de forma irresponsável e sem estudos de impacto ambiental, uma vez que tem destruído boa parte da flora e da fauna nas áreas cortadas pelo empreendimento.

“Em nossa área verde temos ainda outras espécies frutíferas e ornamentais, que servem de abrigo e alimento para répteis, insetos, pequenos mamíferos e uma quantidade enorme de pássaros. Não vamos permitir que mais de 30 anos de trabalho, dedicação e amor à fauna e à flora sejam destruídos em um piscar de olhos, simplesmente por causa da ganância de nossos gestores”, afirmou o ambientalista.

O morador Antonio Carlos da Paz, de 65 anos, também membro da Assuape, explicou que já mora no bairro há 26 anos e nunca havia presenciado tanto desmatamento como o praticado nos últimos anos, em decorrência do crescimento urbano e imobiliário.

Antonio disse que a comunidade não é contra a “Via Expressa” e sim a favor do equilíbrio ambiental, proporcionado pelas áreas verdes, que ajudam a diminuir o calor e colaboram para um ar mais puro, com qualidade de vida.

“Não fomos sequer notificados sobre o projeto de ‘destruição’ do governo. Eles nem sabem que essa área já faz parte da planta do bairro e é detentora de uma decisão liminar, fruto de uma Ação Popular 8115/2010 na 5ª Vara da Fazenda Pública do Estado do Maranhão, que protege as árvores de serem cortadas ou destruídas”, declarou Antonio.

Um abaixo-assinado está sendo elaborado pela comunidade para ser enviado à governadora Roseana Sarney, no intuito de sensibilizá-la a mudar o percurso da “Via Expressa”, de forma a não atingir o Parque Verde.

Várias entidades estão apoiando o movimento da Assuape. Alguma delas: Fórum Ambientalista do Maranhão (FAM), Associação Maranhense para a Conservação da Natureza (Amavida), Associação dos Moradores da Vila Cristalina (Amovila), União dos Moradores do Conjunto Vinhais, Cia. Circense de Teatro de Bonecos, ONG Arte-Mojó, Fábula-Brasil, Fábula-Internacional, Associação Ambiental Orla Viva, e as escolas Adventista, Arco-Íris, Ecilda Ramos e Cantinho Feliz, entre outras. (Jully Camilo)

 

FONTE: http://www.jornalpequeno.com.br/2011/9/15/ambientalistas-rejeitam-via-expressa-em-area-verde-169999.htm

CONTATOS

facebook.com/observatorio

(98) 99999-9999

observatoriopoliticaspublicaslutasociais@yahoo.com.br