21/03/2012 12:00 am

Alunos do Mackenzie fecham Consolação durante protesto em SP

Alunos do Mackenzie fecham Consolação durante protesto em SP

DE SÃO PAULO

Alunos da universidade Mackenzie realizam um protesto na manhã desta quarta-feira contra mudanças no vestibular da instituição. Eles ocupam a rua da Consolação, na região central de São Paulo, e interrompem o tráfego no sentido bairro.

Neste ano, o Mackenzie passou a adotar somente a nota do Enem (Exame Nacional do Ensino Médio) no vestibular de meio de ano. Quem não fez o exame também poderá fazer a prova tradicional em um segundo processo seletivo, segundo a instituição.

O presidente do Diretório Acadêmico do curso de direito, Rodrigo Rangel, 23, afirma que a manifestação foi convocada pelas redes sociais e informada ao 7º Batalhão da PM, que está no local. Os alunos prometem ocupar a Consolação até as 13h.

“O direito de livre manifestação deve ser exercido. Tentamos através de ofícios, marcamos reuniões, mas diante da recusa [da reitoria] criamos o movimento.”

A reitoria afirma que já houve reunião entre o Decanato Acadêmico e o diretório e já está marcada para amanhã (22) uma reunião entre o reitor Benedito Guimarães Aguiar Neto e Rangel.

De acordo com CET (Companhia de Engenharia de tráfego), o bloqueio começou por volta das 11h e atinge três faixas no sentido bairro. Apenas a faixa exclusiva para ônibus está liberada para a passagem de veículos.

A CET informou que o desvio está sendo feito pela rua Maria Antônia. Por volta das 11h20, o protesto causava lentidão nas imediações.

GOELA

Segundo os alunos, o edital do vestibular para o segundo semestre de 2012 previa que 100% das vagas seriam ocupadas por meio das notas do Enem. Dias depois, o Mackenzie decidiu que seriam 50% das vagas.

A reitoria do Mackenzie nega a informação e afirma que “em nenhum momento publicou edital que ofertasse a totalidade de vagas exclusivamente para os participantes do Enem”.

Os alunos dizem que são contra qualquer uso da prova federal. Eles dizem que o Enem está desmoralizado por casos de fraude e sua adoção compromete o nome da faculdade.

Para João Carlos Fonseca, 29, aluno de direito, “o reitor está querendo enfiar o Enem goela abaixo nos alunos”.

OUTRO LADO

Sobre a manifestação no entorno do campus Higienópolis, o Mackenzie disse que não pode se responsabilizar por ações de estudantes fora do seu espaço físico e que lamenta os transtornos causados.

Quanto à mudança no vestibular, “a instituição reafirma que se orienta pelo princípio da universalidade para definir os critérios que considera mais adequados para seu processo seletivo, orientando-se especialmente pelas diretrizes governamentais que apontam para esta questão”, disse em nota.

http://www1.folha.uol.com.br/cotidiano/1064983-alunos-do-mackenzie-fecham-consolacao-durante-protesto-em-sp.shtml

CONTATOS

facebook.com/observatorio

(98) 99999-9999

observatoriopoliticaspublicaslutasociais@yahoo.com.br